Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia57Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66INTRODUÇÃOA bromialgia é uma das doenças reumatológicas mais frequentes, cuja característica principal é a dor musculoesquelética difusa e crônica.Em um estudo realizado no Brasil, em Montes Claros, a bromialgia foi a segunda doença reumatológica mais frequen-te, após a osteoartrite. Neste estudo, observou-se prevalência de 2,5% na população, sendo a maioria do sexo feminino, das quais 40,8% se encontravam entre 35 e 44 anos de idade.1Além do quadro doloroso, estes pacientes costumam queixar-se de fadiga, distúrbios do sono, rigidez matinal, parestesias de extremidades, sensação subjetiva de edema e distúrbios cognitivos. É frequente a associação a outras comorbidades, que contribuem com o sofrimento e a piora da qualidade de vida destes pacientes. Dentre as comorbidades mais frequentes podemos citar a depressão, a ansiedade, a síndrome da fadiga crônica, a síndrome miofascial, a síndrome do cólon irritável e a síndrome uretral inespecíca.2 Os portadores da bromialgia utilizam-se de mais terapias analgésicas e procuram os serviços médicos e de diagnóstico com maior frequência que a população normal. Dessa forma, não é de se estranhar que nos EUA seus custos de saúde anuais cheguem a U$ 9.573,00 por paciente, representando gastos 3 a 5 vezes maiores do que a população em geral.3 Uma parcela con-siderável destes custos pode ser economizada quando o paciente tem seu diagnostico realizado e é tratado corretamente, evitando exames complementares desnecessários e medicamentos inúteis para o seu tratamento.4 Embora seja uma doença reconhecida há muito tempo, a bromialgia tem sido seriamente pesquisada somente há três décadas. Pouco ainda é conhecido sobre sua etiologia e pato-gênese. Até o momento, não existem tratamentos que sejam considerados muito ecazes.A bromialgia é uma síndrome primariamente pesquisada e tratada por reumatologistas principalmente por envolver um quadro crônico de dor musculoesquelética, mas frequentemente estes pacientes requerem um acompanhamento multidiscipli-nar com o objetivo de alcançar uma abordagem ampla e mais completa de seus sintomas e comorbidades.Em 2004, a Sociedade Brasileira de Reumatologia publi-cou as primeiras diretrizes da bromialgia, com o objetivo de direcionar o diagnóstico e o tratamento desta síndrome.5 O objetivo da gestão SBR 2006-2008 neste trabalho não foi somente o de atualizar as diretrizes do tratamento da bromial-gia, mas foi o de inovar, ao reunir especialistas de outras áreas médicas com conhecimento desta síndrome, para elaborarem um consenso sobre seu tratamento.METODOLOGIAOs temas revisados foram divididos em três categorias: 1) importância do diagnóstico da bromialgia com recomen-dações gerais; 2) tratamento medicamentoso; 3) modalidades terapêuticas não medicamentosas. Os graus de recomendação e os níveis de evidência cientíca utilizados foram os do Projeto Diretrizes da Associação Médica Brasileira.6 A metodologia utilizada foi a do Sistema BASCE,7 método organizacional desenvolvido pela consultoria Axia.Bio com o objetivo de minimizar desvios e direcionamentos dos resul-tados sendo baseada em critérios cientícos já estabelecidos pela literatura. O sistema BASCE propõe uma abordagem sis-temática para adaptação de diretrizes (guidelines) e consensos produzidos em diferentes cenários, observando a resposta de questões relevantes ao cenário local, por meio da apresentação de resultados de forma explícita e transparente, para que o material produzido tenha qualidade e validade cientíca local através de: Busca ampla e sistemática na literatura médica por diretri-zes (guidelines) e consensos referentes a determinada doença; Avaliação estruturada destes, com participação de quatro ou mais especialistas locais que fazem a Seleção do material a ser utilizado, com base em pontuações; Grupo de Consenso e revisão externa com outros oito ou mais especialistas locais; Estruturação de material adaptado para a realidade local.Este processo foi dividido em duas etapas.Primeira etapa: Preparação das questões que seriam deliberadas pelo grupo do consensoPara tal foi realizada pesquisa bibliográca em bancos de dados das diretrizes (guidelines), metanálises e revisões sistemáticas sobre bromialgia.A busca de literatura no portal Pubmed ocorreu através da seguinte estratégia de busca: (“bromyalgia” [MeSH Terms] OR “bromyalgia”[All Fields]) AND systematic[sb] AND ((“1”[PDAT] : “2008/06/13”[PDAT]) AND (English[lang] OR Spanish[lang] OR Portuguese[lang])), sendo encontrados 109 trabalhos, dos quais 24 demonstraram ser publicações que atendiam aos objetivos da busca e, posteriormente, foram capturados no seu formato de texto completo (full text). Fo-ram selecionados 15 trabalhos, na sua maioria metanálises, e também diretrizes (guidelines).8-22Na biblioteca Cochrane, o termo “bromyalgia” retornou um artigo na sessão de metanálises completas.23 Na parte de protocolos, foram observados dois projetos que ainda não estavam nalizados.
O tratamento da dor nas costas depende da causa subjacente. Ou seja, após diagnóstico, o médico deve definir um plano de tratamento de acordo com a patologia responsável pela dor. O doente nunca se deve automedicar ou tentar qualquer tipo de tratamento alternativo sem aconselhamento médico, sob pena de poder agravar o problema e até existir risco de morte em alguns casos. Como vimos, existem algumas patologias que são potencialmente perigosas se não forem diagnosticadas e tratadas de forma correta e atempada.

Lutaif explica: “As marcas na pele são sangramentos temporários no tecido subcutâneo, consequências de um processo de sucção da pele por muito tempo. De acordo com a medicina chinesa, essas dores que a pessoa sente seriam causadas pela estagnação da energia, e as ventosas ativas promovem a movimentação dessa energia bloqueada. Essas marcas não são deixadas no tratamento estético e, quando aparecem, podem durar até cinco dias.”


Embora não seja mortal, a hérnia de disco pode levar indivíduos economicamente ativos a se aposentarem por invalidez, sendo as causas multifatoriais, como: permanecer sentado por longas horas e o comportamento sedentário. Devido à repercussão econômica causada pelas lombalgias e hérnias de disco, elas se tornaram a 1ª causa de pagamento de auxílio doença e a 3ª causa de aposentadoria por invalidez.
Os tratamentos da Fibromialgia, que desde há cerca de oito meses se iniciaram gratuitamente, na Santa Casa da Misericórdia de São Carlos (SCMSC) – em unidade específica que presta outros atendimentos para pesquisa, como osteoartrose -, graças a uma feliz parceria entre essa instituição e o Instituto de Física de São Carlos (IFSC/USP), através de seu Grupo de Óptica, acabam de ganhar mais um avanço científico com a introdução de um novo protocolo que está já em execução na Unidade de Terapia Fotodinâmica da SCMSC.
Para quem não está acostumado, a dureza do piso pode causar alguns traumas na canela. O asfalto e o concreto são seis vezes mais prejudiciais para o tecido da tíbia em relação aos terrenos mais leves (como terra batida). Recomenda-se que os treinos na rua sejam leves para o iniciante, alternando com treinamentos em terrenos que geram menos impacto. Terrenos com grama e areia dura ajudarão nesse quesito.
Lin Tchie Yeng – Com o uso exclusivo de anti-inflamatórios, a dor melhora por uns tempos, mas torna a aparecer. No tratamento da fibromialgia, medicação ajuda, mas não é o suficiente. É importante trabalhar com o lado físico e psicológico do paciente. Por isso, os antidepressivos representam uma primeira e conveniente opção. Associados aos analgésicos e anti-inflamatórios, diminuem os sintomas da dor. No entanto, pacientes com fibromialgia ou dores crônicas requerem abordagem multidisciplinar para que o tratamento apresente resultados mais eficientes.
O camisa 10 deveria ter iniciado as atividades com o grupo nesta segunda, mas perdeu atividades desde sexta-feira à tarde. Na sexta, o jogador ligou para o diretor de futebol Zinho e pediu liberação para resolver problemas particulares. No sábado pela manhã, porém, nem a voz do jogador foi ouvida. Por SMS, ele explicou ao diretor de futebol que não estaria presente, inclusive no domingo.
O aneurisma da aorta é uma patologia grave e que pode também causar dor nas costas. Um aneurisma é a dilatação de um vaso sanguíneo (de uma artéria ou veia). O aneurisma da aorta abdominal é o aneurisma mais comum. A rotura do aneurisma é uma das principais e perigosas complicações, que pode matar em pouco tempo se não diagnosticada e tratada adequadamente. Uma dor forte nas costas ou no abdómen (na barriga), frequentemente associado a uma baixa pressão arterial (hipotensão) e perda súbita da consciência pode ser um indicador de rotura do aneurisma, devendo o doente dirigir-se imediatamente a um serviço de urgência.
A artrose na coluna (espondilose) é uma alteração degenerativa da coluna vertebral. Na espondilose, sintomas como dor na coluna, desconforto ou tensão nas costas ou pescoço ocorrem frequentemente. A intensidade da dor na coluna pode variar ao longo do dia, modificar com a posição, as atividade e os movimentos, no entanto, na maioria das pessoas não é de tal forma intensa que se torne incapacitante. A dor pode ser limitada à coluna ou, então, irradiar, de forma diferente conforme os segmentos da coluna afetados, por norma, para a cabeça (na espondilose cervical), para a região do tórax (na espondilose dorsal), para as nádegas e virilhas (na espondilose lombar e lombossagrada).
Os discos intervertebrais sofrem um desgaste com o tempo e o uso repetitivo, facilitando a formação de hérnias de disco, ou seja, parte deles sai da posição normal e comprime as raízes nervosas que emergem da coluna. Além disso, muitos indivíduos apresentam predisposição genética e maus hábitos de vida. Esse problema é mais frequente nas regiões lombar e cervical, por serem áreas mais expostas ao movimento e que suportam mais carga.
A causa mais comum da lombalgia aguda é algum movimento errado que o paciente fez no seu dia a dia, como: carregar peso em excesso ou de forma errada; abaixar o tronco para pegar algum objeto com as pernas esticadas; fazer rotação do corpo mantendo os pés parados no chão, ao invés de rodar todo o corpo; pegar algum objeto em uma estante alta inclinando o corpo para trás, dentre outros comportamentos.
Nas internações obstétricas, o uso de agentes uterotônicos para a indução do TP, as episiotomias e as cesáreas têm aumentado de forma significativa em diversos países. Nos Estados Unidos, 10,0% a 15,0% dos nascimentos são realizados eletivamente (sem justificativa médica ou obstétrica) e antes de 39 semanas de gestação, o que inclui a indução eletiva do TP e a cesárea. 6 , a Entre os anos de 1996 e 2007, o número de cesáreas aumentou 53,0%, atingindo 32,0% dos partos norte-americanos. b
A idade média para o aparecimento da primeira crise de dor é de, aproximadamente, 37 anos. Por causa da correria do dia a dia, má postura e sedentarismo, muitos brasileiros não se preocupam em fazer atividades físicas e cuidar da postura. Quando a crise aparece, muitos só enxergam a cirurgia como opção. No entanto, muitas pesquisas têm apontado tratamento convencional e exercícios físicos como solução para cerca de 90% dos casos.
Dois ECR sul coreanos 11 , 12 também mostraram menor tempo de TP entre as parturientes que receberam acupressão no ponto BP6. Outro estudo 10 mostrou menor tempo de TP ao comparar as participantes que receberam atendimento usual da unidade. Esses estudos calcularam o tempo de TP a partir de 3 cm de dilatação cervical e a média foi de 52,4, 11 52,6 12 e 54,0 10 min a menos de duração do TP no grupo BP6, respectivamente, em cada estudo. Quanto ao uso de ocitocina, não houve diferença entre os grupos em um ECR, 11 embora o GT tenha recebido volume total superior ao grupo BP6. Já em outros estudos 10 , 12 não foi descrito o uso de ocitocina ou de qualquer método para condução.

Um estudo publicado no Jornal Oficial da união Norte-Americana Espinhal Sociedade descobriu que, depois de comparar os resultados em 102 adultos que sofriam de nervo ciático dor, aqueles que receberam ajustes de quiroprática experientes menos dor local, menos o número de dias com dor, e menos casos de dor moderada ou grave em comparação com pessoas que não receber ajustes. (3)
Para quem não está acostumado, a dureza do piso pode causar alguns traumas na canela. O asfalto e o concreto são seis vezes mais prejudiciais para o tecido da tíbia em relação aos terrenos mais leves (como terra batida). Recomenda-se que os treinos na rua sejam leves para o iniciante, alternando com treinamentos em terrenos que geram menos impacto. Terrenos com grama e areia dura ajudarão nesse quesito.
Os pacientes que têm fibromialgia devem fazer exercício físico, principalmente o condicionamento aeróbico que proporciona os melhores resultados a médio e longo prazos. Os pacientes referem melhora dos sintomas dolorosos e da fadiga. A introdução de programas de exercícios físicos, seja no solo ou na água, têm apresentado sucesso no alívio dos sintomas. (1)
Estes pontos 8.820 pontos de acupressão em contacto com as suas costas com promovem um relaxamento dos músculos ao longo da coluna e a libertação das endorfinas. Você pode utilizar o Yantra Mat de diversas formas, pode coloca-lo sobre uma cadeira, poltrona ou sofá e sentar-se sobre ele, ou pode deitar-se sobre o Yantra Mat de costas ou sobre a barriga. É excelente para quem tem insônia ou para quem tem os músculos tensos, por isso você pode usa-lo em sua viagem de avião ou em sua casa para relaxar e ter uma excelente noite de sono.
A dor ciática é caracterizada por uma espécie de queimação, que pode ir desde o fundo das costas, afetando o bumbum, a parte de trás ou da frente da coxa até o pé. Ela é geralmente causada pela compressão do nervo ciático devido a uma alteração na coluna lombar como hérnia de disco ou desvio da coluna, mas também pode acontecer devido ao fato do nervo passar por dentro do músculo piriforme, e sempre que este ficar muito tenso, a crise ciática pode aparecer com sintomas como dor, formigamento ou queimação no fundo das costas, glúteos e pernas. Saiba como identificar a síndrome do piriforme.
A dor crônica é aquela que ultrapassa até três semanas e pode piorar ou ter picos de dor. Enquanto isso a aguda tem uma intensidade mais leve e não ultrapassa um tempo tão grande, podendo no máximo passar de um dia para o outro. Quando é o caso de dor aguda, não é necessário medicação ou uma investigação mais detalhada, já a crônica é bem possível que tenha de se fazer uma investigação mais detalhada.
Se um objeto lhe parecer demasiado pesado ou difícil de manejar, não o levante sozinho, peça ajuda. Escute a intuição do seu corpo sobre aquilo que deve e não deve levantar. Por vezes quando está prestes a levantar um objeto pesado, pode ocorrer-lhe um pensamento passageiro de que as suas costas são demasiado fracas. Siga esse palpite. Como indicação geral, se já teve dores nas costas, nunca deve levantar nada com mais de 18 quilos.
7 minutos A doença fibromialgia é uma condição crônica que traz dor generalizada nos músculos, ligamentos e tendões. Esta condição também pode ser acompanhada de fadiga e distúrbios do sono. Bem-vindo a mais um artigo do blog Sua Solução Online. Neste post você irá conhecer mais um pouco sobre a doença fibromialgia, uma síndrome que afeta milhares de pessoas no mundo inteiro. Estudos médicos mostram que até seis milhões de americanos têm fibromialgia, muitos deles são mulheres. E não importa quantos relaxantes musculares e Continue lendo→
This mat has worked wonders on my back. I pulled my lumbar and thoracic areas of my back at work and I lay on this mat everyday. Ten minutes then eventually i worked my way up to 20 min. It is a little hard to get used to becasue the spikes are sharp. I started using it on my bed first. Now I put it on top of my yoga mat. Great product, and it comes with a carrying bag!!

A espinha dorsal é uma complexa rede que liga nervos, articulações, músculos, tendões e ligamentos, e todos são capazes de produzir dor. Grandes nervos que se originam da espinha e vão até as pernas e braços podem espalhar dor para as extremidades. Todavia, algumas vezes a dor nas costas pode ser experimentada mesmo quando nenhum problema anatômico subjacente é aparente.


– Deixe o monitor do computador na altura dos seus olhos. Abaixar-se para olhar a tela provoca dor no pescoço. O teclado deve ficar em um ângulo de noventa graus com os cotovelos e os punhos precisam estar na mesma linha que o teclado. Nossa cabeça pesa em torno de cinco quilos. Se você se abaixar para olhar o monitor, todo o peso dela ficará a cargo da coluna, gerando um peso aproximado de treze quilos.

As atividades físicas são um dos pilares que ajudam no tratamento de um indivíduo com fibromialgia, direta e indiretamente. Segundo o fisioterapeuta Jonas de Andrade Silva, os benefícios diretos da atividade física são: liberação de endorfina, que melhora o fluxo sanguíneo e traz um relaxamento corporal, levando o paciente a ter uma sensação de bem-estar, aliviando as dores e os sintomas associados a doença, como a fadiga e as alterações no sono.
Na comparação entre ultrassom, laser e ultralaser aplicados no músculo trapézio, houve um percentual de diferença de 57,72% na melhora de funcionalidade e 63,31% na redução de dor para o grupo de ultralaser. Já na comparação entre o tratamento no musculo trapézio e na palma das mãos com ultralaser, houve um percentual de diferença de 75,37% na redução de dor para o tratamento focado nas palmas das mãos.
A idade média para o aparecimento da primeira crise de dor é de, aproximadamente, 37 anos. Por causa da correria do dia a dia, má postura e sedentarismo, muitos brasileiros não se preocupam em fazer atividades físicas e cuidar da postura. Quando a crise aparece, muitos só enxergam a cirurgia como opção. No entanto, muitas pesquisas têm apontado tratamento convencional e exercícios físicos como solução para cerca de 90% dos casos.
Os profissionais de saúde, principalmente fisioterapeutas e educadores físicos, têm o dever de incentivar os indivíduos que sofrem com disfunções relacionadas ao nervo ciático a praticar regularmente atividade física, inclusive aeróbica. O desenvolvimento das fibras musculares tipo I e consequentemente o condicionamento aeróbico liberam endorfina. De tal modo que as pessoas se mantenham ativas e dispostas a dar continuidade ao tratamento.
Pratique a acupressão quando o corpo estiver no estado correto. As técnicas acima só devem ser empregadas quando você estiver relaxado e em um ambiente particular. Sente-se ou deite-se e tente se livrar das distrações externas. Desligue o celular e bote uma música relaxante para tocar. Se preferir, experimente a aromaterapia ou qualquer outra técnica que o ajude a relaxar.
A intervenção cirúrgica é muito agressivas, principalmente na coluna. Acontece que a coluna vertebral é muito sensível e qualquer lesão pode gerar consequências severas que levam até mesmo a perdas de movimento. Há poucos avanços na medicina em relação à eficiência de cirurgia na coluna e, por conta disso as formas de tratamento mais comuns são as de recursos já consagrados como a fisioterapia, reeducação postural global (RPG), acupuntura, medicações, exercícios e hidroterapia.

Lin Tchie Yeng – A psicoterapia ajuda a pessoa a entender e reduzir os fatores desencadeantes. Hoje, em vez da psicoterapia clássica muito difundida no Brasil, defende-se a utilização das terapias cognitivo-comportamentais que buscam modificar a percepção do que acontece ao redor e o comportamento. Se o paciente compreender a causa da doença e desenvolver hábitos e comportamentos adequados, saberá lidar melhor com os episódios dolorosos.
PH FISIOTERAPIA MULTIFUNCIONAL】 Você pode usar este conjunto de acupressão de várias maneiras. Sente-se para aliviar o músculo de suas nádegas. Deite-se para massagear suas costas e pescoço. Fique no tapete de unhas para estimular os pontos de acupuntura dos pés. Com o uso regular pode melhorar uma melhoria das queixas, como dores de cabeça, ombro, costas e articulações, tensão e distúrbios circulatórios ocorrem
ARTIGO ORIGINAL56 Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66Recebido em 06/10/2009. Aprovado, após revisão, em 24/11/2009. Roberto Ezequiel Heymann e Eduardo dos Santos Paiva declaram ter recebido honorários da Lilly, Janssen-Cilag, Boehringer, Apsen e Pfizer para palestras e consultoria; Milton Helfenstein Junior recebeu honorários da Pfizer e Merck Sharp para palestras e consultoria; Daniel Feldman Pollak recebeu honorários da Lilly, Pfizer e Merck Sharp; José Eduardo Martinez recebeu honorários da Sanofi Aventis para palestras e da Pfizer para palestras e consultoria; José Roberto Provenza recebeu honorários dos laboratórios Roche, Bristol, Ache e Pfizer para participar de pesquisas clínicas com novos fármacos na PUC-Campinas; Marcelo Cruz Rezende declara ter recebido honorários da Lilly-Boehringer para a participação em simpósios e da Pfizer para ser palestrante e participar de simpósios; Valério Valim Cristo declara recebimento de honorários por apresentação, conferência ou palestra pela Roche, além de financiamento para a realização de pesquisa, organização de atividade de ensino ou comparecimento a simpósios pela Lilly, Genzyme, Schering-Plough. Os demais autores declararam não haver conflitos de interesse.1. Coordenador do Ambulatório de Fibromialgia da UNIFESP e assistente doutor da Disciplina de Reumatologia da UNIFESP2. Professor Assistente da Disciplina de Reumatologia, UFPR. Chefe do ambulatório de fibromialgia do HC-UFPR3. Assistente doutor da Disciplina de Reumatologia da UNIFESP4. Professor Adjunto da Disciplina de Reumatologia da UNIFESP e chefe do Setor de reumatismos de partes moles da UNIFESP5. Professor titular do Departamento de Medicina da PUC-SP, doutor em Reumatologia pela UNIFESP e diretor da Faculdade de Medicina da PUC-SP6. Professor titular de Reumatologia da PUC-Campinas e chefe do Serviço de Reumatologia do Hospital Universitário da PUC-Campinas7. Professora orientadora da pós-graduação da Faculdade de Ciências da Saúde da UnB e chefe do centro de ambulatórios do Hospital Universitário de Brasília8. Membro da Sociedade Brasileira de Reumatologia9. Mestre em Medicina pelo Instituto de Ensino e Pesquisa da Santa Casa de Belo Horizonte, coordenador do Programa de Residência Médica em Reumatologia e do Ambulatório de Fibromialgia da Santa Casa de Belo Horizonte10. Ex-presidente da Sociedade Brasileira de Reumatologia, biênio 2007-200811. Professora colaboradora da Faculdade de Medicina da USP, assistente doutora do Serviço de Reumatologia e responsável pelo ambulatório de Fibromialgia do Serviço de Reumatologia do HC-FMUSP12. Responsável pelo Setor de Reumatologia e Preceptor do programa de Residência em Clínica Médica da Santa Casa de Campo Grande. Ex-presidente da Sociedade de Reumatologia do Mato Grosso do Sul13. Professor assistente de Reumatologia da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e mestre em Clínica Médica pela UFGRS14. Reumatologista com especialização em Medicina Esportiva do setor de reabilitação, procedimentos e coluna vertebral pela UNIFESP15. Ex-fellow da Universidade da Virgínia (EUA), mestre em Educação e Ciência e professora da UNISUL16. Professora adjunto do Departamento de Clínica Médica, chefe do ambulatório de fibromialgia e chefe do serviço de Reumatologia do Hospital Universi-tário da Universidade Federal do Espírito Santo17. Doutora em Reumatologia pela UNIFESP, membro da Sociedade Brasileira de Reumatologia e da Sociedade Brasileira de Clínica Médica18. Membro da Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor19. Presidente da Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação, professora colaboradora da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e doutora em Medicina pela FMUSP20. Membro da Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação21. Professor titular de Neurologia da Universidade Federal Fluminense (UFF), coordenador do Departamento de Dor da Academia Brasileira de Neurologia (ABN) e do Subcomitê de Dor da European Neurological Society (ENS). Membro da Peripheral Nerve Society22. Doutor em Ortopedia e Traumatologia pela Faculdade de Medicina da USP, médico Assistente do Grupo de Mão e professor colaborador da FMUSP23. Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia24. Membro da Consultoria Axia.Bio farmacoeconomia e pesquisa em saúde25. Diretor executivo do Núcleo de Gestão de Pesquisas da UNIFESP, mestre em Ciências pela UNIFESP e sócio-pesquisador da Axia.BioEndereço para correspondência: Roberto Ezequiel Heymann. Av. Brigadeiro Luiz Antonio, 2466, conj 93-94. São Paulo - SP - CEP 01402-000Consenso brasileiro do tratamento da bromialgiaRoberto Ezequiel Heymann1, Eduardo dos Santos Paiva2, Milton Helfenstein Junior3, Daniel Feldman Pollak4, José Eduardo Martinez5, José Roberto Provenza6, Ana Patrícia Paula6, Antonio Carlos Althoff8, Eduardo José do R. e Souza9, Fernando Neubarth10, Lais Verderame Lage11, Marcelo Cruz Rezende12, Marcos Renato de Assis8, Maria Lucia Lemos Lopes13, Fabio Jennings14, Rejane Leal C. da Costa Araújo15, Valéria Valim Cristo16, Evelin Diana Goldenberg Costa17, Helena Hideko S. Kaziyama18, Lin Tchia Yeng18, Marta Iamamura19, Thais Rodrigues Pato Saron20, Osvaldo J. M. Nascimento21, Luiz Koiti Kimura22, Vilnei Mattioli Leite23, Juliano Oliveira24, Gabriela Tannus Branco de Araújo24, Marcelo Cunio Machado Fonseca25

Contraditoriamente, apesar do paciente sentir-se persistentemente cansado, não fazer nada ao longo do dia tende a piorar os sintomas. Nada é pior para os sintomas da fibromialgia do que o sedentarismo. Exercícios físicos aeróbicos e musculação melhoram a qualidade de vida e diminuem a intensidade das dores e a sensação de cansaço. O paciente deve ser encorajado a sair da inércia e vencer a indisposição inicial. Estudos mostram que a prática de Yoga e Tai Chi Chuan são tão eficazes quanto exercícios aeróbicos, ajudando a melhorar o cansaço, as dores e a qualidade do sono.


O Yantra Mat tem 44 cm por 75 cm e contém 8.820 pontos de contacto de acupressão calibrados para proporcionar uma pressão uniforme em todos os pontos. Pode deitar-se sobre o Yantra Mat de costas ou sobre a barriga, ou ainda colocar o tapete numa cadeira ou no sofá para se sentar – o que lhe permite controlar a quantidade de pressão que aplica. Como usar o Yantra Mat: COSTAS Os pontos de acupressão são acionados resultando num relaxamento dos musculos ao longo da coluna e da libertação das endorfinas. BARRIGA PARA BAIXO Os pontos de acupressão são acionados ao longo estômago, proporcionando uma boa digestão. Quando os músculos do estômago estão relaxados, os músculos respiratórios relaxam também para uma respiração mais profunda e melhoria da circulação. CABEÇA Deite-se cuidadosamente com o rosto sobre o tapete. Esta posição pode ajudar a soltar os movimentos do maxilar e pescoço. SENTADO Relaxamento dos músculos da região lombar e nádegas. Melhora a circulação nesta área.
Temos um numeroso arsenal contra as dores nas costas, que vão afligir oito em cada dez pessoas pelo menos em um momento da vida, mas muitas vezes estamos errando o alvo ou pecando pelo excesso. É o que sugere um levantamento da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, englobando 23 918 consultas por causa de queixas desse tipo entre 1999 e 2010. Os pesquisadores concluíram que, ali, os médicos não seguem direito as recomendações para o manejo do problema, o que resulta em um abuso na prescrição de remédios, exames de imagem e até mesmo cirurgias.
Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia59Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66lidades de tratamentos não farmacológico e farmacológico. O tratamento deve ser elaborado, em discussão com o paciente, de acordo com a intensidade da sua dor, funcionalidade e suas características, (grau de recomendação A),8,25 sendo importante também levar em consideração suas questões biopsicossociais, (grau de recomendação D) (Grupo I-SBR) e culturais (grau de recomendação D).26 A dor crônica é um estado de saúde persistente que modica a vida. O objetivo do seu tratamento é o controle e não sua eliminação (grau de recomendação D).26Tratamento medicamentosoDentre os compostos tricíclicos, a amitriptilina, e entre os relaxantes musculares, a ciclobenzaprina reduzem a dor e frequentemente melhoram a capacidade funcional estando, portanto, recomendadas para o tratamento da bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 A nortriptilina foi recomendada pelo grupo para o tratamento da bromialgia, ao contrário da imipramina e da clomipramina que não foram recomendadas (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).Entre os inibidores seletivos de recaptação da serotonina, houve consenso de que a uoxetina em altas doses (acima de 40 mg) também reduz a dor e frequentemente melhora a capa-cidade funcional sendo também recomendada para o tratamento da bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 O uso de inibidores da recaptação da serotonina, como a uoxetina, em combinação com tricíclicos também está reco-mendado no tratamento da bromialgia (grau de recomendação B).25 O uso isolado dos demais inibidores de recaptação da serotonina, como a sertralina, a paroxetina, o citalopram e o escitalopram, não foi recomendado (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).Dentre os antidepressivos que bloqueiam a recaptação da serotonina e da noradrenalina, a duloxetina e o milnaciprano foram recomendados por reduzirem a dor e frequentemente melhorarem a capacidade funcional dos pacientes com bro-mialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 Não houve consenso quanto à utilização da venlafaxina em pacien-tes com bromialgia (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).A moclobemida, um antidepressivo inibidor da MAO, foi recomendada no tratamento da bromialgia por reduzir a dor e frequentemente melhorar a capacidade funcional dos pacientes com bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8Não houve consenso quanto à utilização da trazodona em pacientes com bromialgia (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).técnica do consenso e estruturação das reuniões do consenso brasileiro para o tratamento da bromialgia.Os recursos provenientes para a realização deste consenso foram obtidos dos laboratórios Mantecorp Indústria Química e Farmacêutica Ltda., Janssen-Cilag Farmacêutica Ltda., Ap-sen Farmacêutica S/A e Laboratórios Pzer Ltda. Cada uma dessas empresas contribuiu com uma cota igual, referente a ¼ dos custos. A captação dos recursos cou a cargo da empresa Axia.Bio, que contatou e se reuniu com os responsáveis dessas empresas. O nome dos especialistas envolvidos neste trabalho foi mantido em sigilo, e qualquer contato dessas empresas com médicos participantes do consenso foi proibido. Dessa forma, pudemos garantir a isenção dos nossos resultados. RESULTADOSForam votadas 74 questões, atingindo-se consenso em 68 (92%) destas. Somente seis (8%) questões não obtiveram consenso.Diagnóstico e recomendações geraisA bromialgia deve ser reconhecida como um estado de saúde complexo e heterogêneo no qual há um distúrbio no processa-mento da dor associado a outras características secundárias,8 (grau de recomendação D, nível de evidência IV). O diagnóstico da bromialgia é exclusivamente clínico e eventuais exames subsidiários podem ser solicitados apenas para diagnóstico diferencial (grau de recomendação D) (Grupo I). O diagnóstico deve ser conrmado logo ao início do tratamento, para que possamos esclarecer ao paciente o que é verdadeiro e o que é falso (grau de recomendação D).25 A orientação ao paciente é fator crítico para o controle ideal da bromialgia (grau de recomendação B).25 Como parte inicial do tratamento, devemos fornecer aos pacientes informações básicas sobre a bromialgia e suas opções de tratamento, orientando-os sobre controle da dor e programas de autocontrole (grau de recomendação A).25 A completa compreensão da bromialgia requer uma ava-liação abrangente da dor, da função e do contexto psicossocial (grau de recomendação D, nível de evidência IV).8 Além da dor, é importante avaliar a gravidade dos outros sintomas como fadiga, distúrbios do sono, do humor, da cognição e o impacto destes sobre a qualidade de vida do paciente (grau de recomendação D).25 Houve consenso que a bromialgia não justica afastamento do trabalho (grau de recomendação D) (Grupo I-SBR).A estratégia para o tratamento ideal da bromialgia requer uma abordagem multidisciplinar com a combinação de moda-
Heymann et al.60 Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66A dose de todos os antidepressivos deve ser individualizada e qualquer mudança de humor concomitante tratada (grau de recomendação D).25O medicamento antiparkinsoniano pramipexol também foi recomendado para o tratamento da bromialgia para reduzir a dor (grau de recomendação A, nível de evidência Ib),8 sendo especialmente indicado na presença de distúrbios do sono como a síndrome das pernas inquietas (grau de recomendação A).25Analgésicos simples e os opiáceos leves também podem ser considerados para o tratamento da bromialgia, ao contrá-rio dos opiáceos potentes que não foram recomendados (grau de recomendação D, nível de evidência IV).8 O tramadol foi recomendado para o tratamento da dor na bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 Sua associação ao pa-racetamol foi considerada efetiva no tratamento da bromialgia (grau de recomendação B).25 A tropisetrona também foi recomendada para o tratamento da dor da bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 Dentre os neuromoduladores, a gabapentina (grau de re-comendação A)22 e a pregabalina foram recomendadas. Esta última foi considerada ecaz em reduzir a dor dos pacientes com bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 Por outro lado, o topiramato, não foi recomendado (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).Os corticosteroides não devem ser empregados (grau de recomendação D, nível de evidência IV).8 Os anti-inamatórios não esteroides não devem ser utilizados como medicação de primeira linha nos pacientes com bromialgia (grau de reco-mendação A).25A zopiclona e o zolpidem foram recomendados para o tratamento dos distúrbios do sono da bromialgia (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).Não foram recomendados para uso na bromialgia o clo-nazepam, a tinazidina e o alprazolam (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).Tratamento não medicamentosoOs pacientes com bromialgia devem ser orientados a realiza-rem exercícios musculoesqueléticos pelo menos duas vezes por semana (grau de recomendação B).25 Programas individualiza-dos de exercícios aeróbicos podem ser benécos para alguns pacientes (grau de recomendação C, nível de evidência IIb),8 que devem ser orientados a realizar exercícios aeróbicos mode-radamente intensos (60%-75% da frequência cardíaca máxima ajustada para a idade [210 menos a idade do paciente]) duas a três vezes por semana (grau de recomendação A),25 atingindo o ponto de resistência leve, não o ponto de dor, evitando, dessa forma, a dor induzida pelo exercício. Isso é especialmente importante no subgrupo de indivíduos com hipermobilidade articular (grau de evidência B).25 O programa de exercícios deve ter início em um nível logo abaixo da capacidade aeróbica do paciente e progredir em frequência, duração ou intensidade assim que seu nível de condicionamento e força aumentar. A progressão dos exercícios deve ser lenta e gradual (grau de recomendação D)25 e se deve, sempre, encorajar os pacientes a dar continuidade para manter os ganhos induzidos pelos exercícios (grau de recomendação B).25 Programas individualizados de alongamento (grau de recomendação D) (Grupo I SBR) ou de fortalecimento mus-cular também podem ser benécos para alguns pacientes com bromialgia (grau de recomendação C, nível de evidência IIb).8 Outras terapias, como reabilitação e sioterapia ou rela-xamento, podem ser utilizadas no tratamento da bromialgia, dependendo das necessidades de cada paciente (grau de reco-mendação C, nível de evidência IIb).8A terapia cognitivo-comportamental é benéca para alguns pacientes com bromialgia (grau de recomendação D, nível de evidência IV).8 O suporte psicoterápico também pode ser utilizado no tratamento da bromialgia, dependendo das ne-cessidades de cada paciente (grau de recomendação C, nível de evidência IIb).8Não houve consenso sobre a indicação de tratamentos com acompanhamento clínico como a balneoterapia (grau de recomendação A)25 ou acupuntura (grau de recomendação C).25 Houve consenso em não recomendar a hipnoterapia, o bio-feedback, a manipulação quiroprática e a massagem terapêutica para o alívio da dor na bromialgia (grau de recomendação B).25Outras terapias, como pilates, RPG (reeducação postural global) e o tratamento homeopático, não foram recomendadas para o tratamento da bromialgia (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).Não existem evidências cientícas de que terapias alterna-tivas, como chás, terapias ortomoleculares, cristais, cromote-rapia e orais de Bach, entre outros, sejam ecazes (grau de recomendação D) (Grupo I SBR). Não há, também, evidências cientícas de que inltrações de pontos dolorosos da bromial-gia sejam ecazes (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).
Apesar de muitas pessoas usarem analgésicos, anti-inflamatórios e outros medicamentos para curar a dor nas costas, ela não pode ser ignorada. A dor é um informativo do organismo de que algo não está ocorrendo bem, por isso a importância de conhecer o diagnóstico para ser assertivo no tratamento. Aqui você confere as principais dicas para aliviar a dor e realizar o seu diagnóstico.
O nervo ciático é o maior nervo do corpo humano, sendo formado por várias raízes nervosas que vem da coluna vertebral. O nervo ciático se inicia no final da coluna, passando pelos glúteos e parte posterior da coxa, e quando chega no joelho ele se divide entre nervo tibial e fibular comum, e chega até os pés. E é nesse trajeto todo que ele pode causar dor com sensação de formigamento, pontadas ou choque elétrico.
Estes movimentos são realizados de maneira suave promovendo a concentração e relaxamento do aluno. A técnica é também usada para promover o condicionamento físico, trabalhar a força e flexibilidade e melhorar a consciência corporal. Por ser um método com inúmeros benefícios e com chances reduzidas de provocar lesões, é muito procurado por esportistas de várias modalidades e indivíduos com sinais de fraqueza muscular, lombalgia e estresse.
Since 1985, the World Health Organization has recommended cesarean section rates between 5.0% and 15.0% in the general population. 21 However, these rates have increased steadily in various parts of the world. 3 In Brazil, a study conducted by the Ministry of Health found a significant increase in this rate from 32.0% in 1994 to 52.0% in 2010. c In 2014, this rate was still 52.0%, with 88.0% of the cesarean sections being performed in the private health network. d
Prescrever exercícios resistidos para indivíduos com histórico de dor na coluna vertebral não é tarefa simples e implica, além do conhecimento sobre os fatores determinantes da dor, a compreensão do processo de estabilização da coluna vertebral, o domínio da técnica de execução, para garantir que os músculos sejam ativados de acordo com os objetivos, e noção apurada das progressões dos exercícios. É relativamente frequente que o fisioterapeuta ou o profissional de Educação Física que recebe o paciente/aluno egresso de uma crise na coluna vertebral seja conservador na escolha dos exercícios, posições e métodos adotados. Porém, treinar um indivíduo procurando, apenas, evitar situações de risco é abrir mão do potencial preventivo do treinamento e não prepará-lo para as exigências do cotidiano, incluindo mobilização de cargas e prática esportiva. Apesar da abordagem sempre ser global, o treinamento da força muscular deverá recair invariavelmente sobre os músculos responsáveis pela estabilidade da coluna vertebral. Esse grupo de músculos compõe a região conhecida como core (núcleo). O core é constituído de uma unidade integrada composta de 29 pares de músculos que suportam o complexo quadril-pélvis-lombar (QPL). Pode-se fazer uma analogia com uma “caixa” na região central do corpo, em que se localiza o centro de gravidade e na qual basicamente todos os movimentos dos membros se iniciam.
A lombalgia – dor nas costas – está presente na grande maioria da população mundial adulta, sendo que de 30 a 40% destas pessoas apresentam de forma assintomática hérnia de disco lombar e de 2 a 3% já estão acometidas pelo sintoma desta patologia, cuja prevalência acima dos 35 anos é de 4,8% no universo masculino e 2,5% no feminino. No país, segundo dados do IBGE, a hérnia de disco atinge 5,4 milhões de brasileiros. O problema é consequência do desgaste da estrutura entre as vértebras que, na prática, funcionam como “amortecedores” naturais do impacto entre elas. Dessa forma, a estrutura se desloca e comprime os nervos da região.
No caso específico da compressão do nervo ciático, o sintoma mais comum é uma dor lombar que irradia unilateralmente para o glúteo, descendo pela parte posterior da coxa e lateral da perna e do pé (veja a figura abaixo). É importante ressaltar que existe um nervo ciático em cada membro inferior, mas a ciatalgia costuma acometer apenas um deles, fazendo com que a dor surja somente em uma das pernas.

Este ponto de acupressão fica localizado entre o polegar direito e dedo indicador. Começando pela mão direita, para pressionar este ponto a sua mão deve estar relaxada, com os dedos ligeiramente curvados e o ponto deve ser pressionado com o polegar esquerdo e o dedo indicador esquerdo, de forma a que estes dois dedos formem uma pinça. Os restantes dedos da mão esquerda devem ficar em repouso, logo em baixo da mão direita. 
O nervo ciático é o nervo mais longo do corpo humano, ligando o hálux (dedão do pé) à região lombar. A ciática é um e não de uma doença em si, podendo se relacionar a uma série de doenças que mais comumente envolvem a coluna, mas que também podem se localizar no quadril, nos joelhos, ou até mesmo ser o sinal de doenças sistêmicas não ortopédicas, sendo também conhecida como ciatalgia.
Para melhores resultados, use o tapete contra sua pele nua. Os usuários iniciantes podem experimentar níveis mais altos de desconforto. Nos estágios iniciais do uso do tapete de bem-estar da hälsa, você pode colocar uma fina camada de algodão ou uma camiseta entre o corpo e o colchonete para reduzir o desconforto. Ao se acostumar com a sensação, você poderá remover a camada de tecido.
Além disso, os exercícios de alongamento também devem ser realizados diariamente para manter as estruturas bem posicionadas e os músculos com a flexibilidade ideal para realizar todas as atividades diárias sem dor. Na consulta o fisioterapeuta poderá indicar os alongamentos que poderá ser realizado em casa, para complementar o tratamento na clínica.
Se o nervo continuar com baixo suprimento de sangue, pode haver complicações como danos permanentes no nervo, e isto pode fazer com que a pessoa sinta muita dor em todo o trajeto do nervo ciático, ou até mesmo perca a sensibilidade nestes locais. Quando o nervo sofre uma grave lesão, devido a um acidente automobilístico, por exemplo, o melhor tratamento é a cirurgia e quando o cirurgião não consegue reparar completamente a lesão pode ser preciso fazer fisioterapia por longos períodos.
 A planta Canela de Velho (Miconia albicans) é uma das plantas medicinais mais procuradas no momento para o tratamento da artrose, artrite, fibromialgia, dores nas costas, coluna e dores articulares em geral. Suas propriedades e aplicabilidade foram descobertas "ao longo de 30 anos de uso" por Mário Augusto de Souza. A primeira publicação das propriedades medicinais da Miconia albicans para o mundo foi feita em 2010 no blog Canela de Velho intitulado "Canela de Velho – O chá milagroso para dores nos joelhos, coluna e articulações (Artrose)". Porém, outras publicações foram feitas em 2009 no site 2RSocial e no Facebook.

Por vezes, as dores estendem-se até ao rabo, da zona posterior da coxa até à parte externa da barriga da perna ou mais, ou até à região inguinal. Os músculos estão em tensão e as costas rígidas. No caso de dores agudas, as costas dobram para a frente e para o lado. Por vezes, as lombalgias são acompanhadas por uma sensação aguda de picada ou formigueiro nas costas ou no rabo.

– Deixe o monitor do computador na altura dos seus olhos. Abaixar-se para olhar a tela provoca dor no pescoço. O teclado deve ficar em um ângulo de noventa graus com os cotovelos e os punhos precisam estar na mesma linha que o teclado. Nossa cabeça pesa em torno de cinco quilos. Se você se abaixar para olhar o monitor, todo o peso dela ficará a cargo da coluna, gerando um peso aproximado de treze quilos.
O terceiro momento, Estágio Automático, tem como objetivo permitir a realização de exercícios que proporcionem desafios e gestos esportivos, sendo realizados com cuidado para assegurar que não haja compensação. Nestes últimos estágios, também é realizado o trabalho de fortalecimento dos músculos estabilizadores da pélvis (glúteos). Pois o alinhamento desta região influencia na distribuição de cargas na coluna lombar. Além disso, é feita a reeducação de atividades da vida diária do indivíduo, desde movimentos simples, como sentar e levantar. É fundamental que a escolha dos exercícios seja criteriosa para cada paciente. Para isso, o profissional que vai receber o paciente com dor no estúdio de Pilates deve ter conhecimento para determinar quais exercícios são mais indicados a partir de uma avaliação, evitando o risco de novas lesões ou a piora do quadro de dor.
O ioga é um tratamento razoável a experimentar a par da toma de medicação e auto tratamentos. Estudos realizados revelam que os doentes com problemas nas costas que participaram em 12 sessões semanais de ioga tinham menos dores do que os que fizeram exercícios terapêuticos e receberam formação nessa área. Alem disso, o alivio da dor, em comparação com o outro grupo, também era mais duradouro, durando mais 14 semanas.
Além dos benefícios acima aproveitou e disse: colchão de acupressão está disponível em vários formatos para atender às necessidades do povo. Por exemplo, existem tapetes especialmente concebidos para mãos e pés para melhorar a circulação sanguínea. As pessoas podem escolher para sentar ou deitar-se no tapete, dependendo das áreas que requerem a pressão. No entanto, uma acupuntura não deve exceder 15 minutos, no primeiro semestre. Uma vez que o corpo se acostuma com a tela, a duração pode ser estendido de 20 para 30 minutos. Algumas pessoas usá-lo para dormir bem. Colchão de acupressão com 8820 pontos de pressão é uma febre entre estes tapetes chineses. Recomenda-se a usá-lo antes de dormir para garantir uma boa vedação de sono. Algumas de suas características surpreendentes listados abaixo:
Lin Tchie Yeng – Para essas pessoas que apresentam maior sensibilidade à dor, é melhor indicar exercícios de menor impacto. Hoje, se fala muito em Pilates, um método de trabalho físico que envolve ou não alguns aparelhos. Na verdade, é muito parecido com alongamento global e condicionamento físico. A dança mostrou ser outra atividade interessante para os pacientes atendidos no Hospital das Clínicas. Eles ouvem música e vencem o medo de se mexer e sentir dor. Ali, a receptividade dessas aulas tem sido muito boa, porque os pacientes saem com a cabeça mais leve e o corpo mais relaxado.
Coloque o travesseiro de bem-estar da hälsa em uma superfície plana e, com cuidado, deite-se com a parte de trás da cabeça e do pescoço contra o travesseiro. Como o tapete, você pode deitar-se com a pele nua diretamente sobre o travesseiro ou com uma fina camada de pano no meio para suavizar a sensibilidade dos pontos. Se você usar o travesseiro regularmente, ficará mais acostumado a ele e poderá remover a camada de pano.
Boa parte dos problemas de dor nas costas podem ser resolvidos por atitudes simples, como dormir em colchão duro ou sentar-se preferencialmente em cadeiras de encosto reto. Pesos só devem ser erguidos a partir de uma postura agachada, mantendo-se as costas retas. Da mesma forma, pessoas que passam longo tempo sentadas (como motoristas e trabalhadores administrativos), devem mudar de posição ou erguer-se de vez em quando para descontrair e exercitar os músculos.
Os profissionais de saúde, principalmente fisioterapeutas e educadores físicos, têm o dever de incentivar os indivíduos que sofrem com disfunções relacionadas ao nervo ciático a praticar regularmente atividade física, inclusive aeróbica. O desenvolvimento das fibras musculares tipo I e consequentemente o condicionamento aeróbico liberam endorfina. De tal modo que as pessoas se mantenham ativas e dispostas a dar continuidade ao tratamento.
Esse artigo relata o caso de uma mulher com 61 anos de idade, com diagnóstico de fibromialgia, queixando-se com muitas dores e diminuição da capacidade funcional. “Ao ter sido submetida ao novo tratamento nas palmas das mãos durante dez sessões (2 vezes por semana), nossa equipe observou uma quase total redução da dor e um aumento de 335% de suas capacidades físicas, possibilitando ao paciente retornar às atividades diárias. Esse método – um estudo de caso – mostra a eficácia deste novo tratamento, consubstanciado em uma nova proposta de tecnologia e metodologia, utilizando equipamentos que permitem a sobreposição do campo, bem como a aplicação nas palmas das mãos, trazendo para o paciente, mais uma vez, a qualidade de vida tão desejada”, sublinha a fisioterapeuta.
Thai Acupressure can be incorporated into all styles of bodywork.    In Thailand it is practiced on a mat on the floor and the client usually dressed in loose comfortable clothing. The practitioner uses hands, elbows, fingers, knees and feet and at times other tools as in Haeek (Guwaha) or Tok Sen to work the lines and points. Oil is also sometimes used on the skin. The line and point formulas in Thai Acupressure can be effectively worked whether you practice Thai Massage or any other style of bodywork from Tui Na to Deep Tissue to Swedish massage.
A AbbVie esclarece que o conteúdo da página "Guia Dor nas Costas" deste site é de sua responsabilidade. O conteúdo das demais seções é de responsabilidade do próprio Minha Vida e/ou seus parceiros. As referências e base de dados dos profissionais de saúde disponíveis no site da SBR é de responsabilidade exclusiva do portal da SBR A AbbVie não tem qualquer ingerência na relação dos profissionais de saúde disponibilizados naquela plataforma, isentando-se de toda e qualquer responsabilidade em relação ao uso dessa base de dados. A disponibilização da base de dados não constitui, de nenhuma forma, indicação pela AbbVie de qualquer dos profissionais nela inseridos. ABBVIE FARMACÊUTICA LTDA - CNPJ 15.800.545/0002-30 - Av. Jornalista Roberto Marinho, 85 - Cidade Monções - São Paulo - SP. Para complementar a política de privacidade do Minha Vida, conheça também a Política de Privacidade da AbbVie
Gostaríamos de lhe explicar as diferentes matrizes de acupressão abaixo, para que você tenha uma visão geral da oferta existente. Usando um monte de acupressão você pode realizar vários exercícios e tratar medicamente sua dor. Ao usar um tapete de acupressão regularmente, você pode enfrentar facilmente a dor da dor no pescoço e dor nas costas e minimizar sua dor.
Os tratamentos que permitem o alívio sintomático (que permitem abrandar ou acabar com a dor) são eleitos como primeira escolha (tratamento conservador). Em algumas patologias, como por exemplo na hérnia discal, espondilose, etc., estão indicados outros tratamentos, nomeadamente o tratamento cirúrgico (cirurgia ou operação), na falência dos tratamentos conservadores. Veja mais informação sobre tratamento em cada uma das patologias.
Benefícios: Fortalece todo o corpo para prevenir, bem como aliviar alergias. ponto longa vida, ponto de equilíbrio, para aumentar a energia, dor no joelho, dor gástrica, vómitos, distensão abdominal, diarréia, constipação, tontura, confusão mental, transtornos mentais, esquizofrenia, esclerose arterial, má digestão, especialmente de proteínas e carboidratos, diabetes, abcesso da mama, mastopatia, dor e inchaço no peito, efeitos secundários da radiação e quimioterapia. Fortalece e tons os músculos e melhora a condição da pele por todo o corpo.

PH FISIOTERAPIA MULTIFUNCIONAL】 Você pode usar este conjunto de acupressão de várias maneiras. Sente-se para aliviar o músculo de suas nádegas. Deite-se para massagear suas costas e pescoço. Fique no tapete de unhas para estimular os pontos de acupuntura dos pés. Com o uso regular pode melhorar uma melhoria das queixas, como dores de cabeça, ombro, costas e articulações, tensão e distúrbios circulatórios ocorrem
Tratamentos não-cirúrgicos — como ajustes de quiropraxia, acupuntura, massagem terapêutica e o fortalecimento de alongamento e o back — pode funcionar tão bem como cirurgias e medicamentos para o tratamento de perna e lombar, nervo ciático dor. Eu recomendo estes como a primeira linha de defesa — por exemplo, ver um quiroprático que pode ajustar a coluna vertebral e ajudar a aliviar a pressão sobre o nervo ciático.
Os discos intervertebrais sofrem um desgaste com o tempo e o uso repetitivo, facilitando a formação de hérnias de disco, ou seja, parte deles sai da posição normal e comprime as raízes nervosas que emergem da coluna. Além disso, muitos indivíduos apresentam predisposição genética e maus hábitos de vida. Esse problema é mais frequente nas regiões lombar e cervical, por serem áreas mais expostas ao movimento e que suportam mais carga.
A ciática pode ser extremamente incapacitante devido à dor intensa e limitação de atividades diárias. A lombalgia simples, de origem mecânica que acontece após algum esforço ou movimento brusco costuma desaparecer em dois ou três dias sem qualquer medida especial. No entanto, a lombalgia que não melhora rapidamente com essas medidas ou que piora gradualmente, evoluindo com a presença da ciática, com alteração de força ou de sensibilidade, é chamada de lombociatalgia e deve ser avaliada por um especialista em coluna com brevidade.
×