Uma vez diagnosticada a dor, a primeira iniciativa do tratamento consiste em identificar e corrigir as causas que desencadearam a compressão do nervo. A RMA (Reconstrução Músculo-Articular) da Coluna Vertebral é um método não cirúrgico, desenvolvido pelo ITC Vertebral, para o tratamento da hérnia de disco bem como de outras lesões da coluna, como a própria dor no nervo ciático. O programa fisioterapêutico utiliza técnicas de Fisioterapia Manual, Mesa de Tração Eletrônica, Mesa de Descompressão Dinâmica, Estabilização Vertebral e Exercícios de Musculação ou Pilates e tem por objetivo melhorar o grau de mobilidade músculo-articular, fortalecer os músculos profundos e posturais da coluna vertebral através de exercícios terapêuticos específicos, além de diminuir a compressão no complexo disco vértebras e facetas, dando espaço para nervos e gânglios.

Só como exemplo, um estudo publicado em 2005 dividiu um grupo de pacientes em dois. Um recebeu tratamento com acupuntura e outro com placebo (falsa acupuntura feita com objetos pontiagudos que não eram inseridos na pele e nem estimulavam os pontos tradicionais da acupuntura chinesa). Os pacientes do grupo placebo não sabiam que estavam usando placebo, todos achavam que estavam sendo submetidos à acupuntura tradicional.

(Fontes: Maurício Garcia, coordenador do setor de fisioterapia do Instituto Cohen de ortopedia, reabilitação e medicina do esporte e fisioterapeuta do Centro de Traumatologia do Esporte da Unifesp – CREFITO 3/8090-F; Ricardo Munir Nahas, ortopedista, traumatologista, médico do esporte e coordenador do Centro de Medicina do Exercício e do Esporte do Hospital Nove de Julho – CRM 34914/SP; Thiago Medeiros, fisioterapeuta e osteopata do Instituto Curarte e professor da Universidade São Francisco e UniMetrocamp – CREFITO 3 /125946-F)
O médico pode até prescrever analgésicos e anti-inflamatórios por um curto período de tempo. “Mas a solução mesmo é educar o paciente e tirar os seus medos, mostrando que a dor não é uma doença, mas um sintoma que pode estar relacionado a diversos fatores, como estresse, ansiedade, depressão, noites mal dormidas, falta de atividade física…”, sugere Lucíola.
66 Bras J Rheumatol 2010;50(1):56-66Heymann et al.4. Annemans L, Wessely S, Spaepen E, Caekelbergh K, Caubère JP, Le Lay K et al. Health economic consequences related to the diagnosis of bromyalgia syndrome. Arthritis Rheum 2008; 58(3):895-902.5. Provenza JR, Pollak DF, Martinez JE, Paiva ES, Helfenstein M, Heymann R et al. Diretrizes da Fibromialgia - Sociedade Brasileira de Reumatologia, 2004. Disponível em: http://www.projetodiretrizes.org.br/projeto_diretrizes/052.pdf.6. Associação Médica Brasileira. Conselho Federal de Medicina. Projeto Diretrizes: introdução. Disponível em: www.projetodiretrizes.org.br/projeto_diretrizes/texto_introdutorio.pdf7. Axia.Bio Farmacoeconomia e pesquisa em saúde. Disponível em: www.axia.bio.br.8. Carville SF, Arendt-Nielsen S, Bliddal H, Blotman F, Branco JC, Buskila D et al. EULAR evidence-based recommendations for the management of bromyalgia syndrome. Ann Rheum Dis 2008; 67(4):536-41.9. Goldenberg DL, Burckhardt C, Crofford L. Management of bromyalgia syndrome. JAMA 2004; 292(19):2388-95. 10. O’Malley PG, Balden E, Tomkins G, Santoro J, Kroenke K, Jackson JL. Treatment of bromyalgia with antidepressants: a meta-analysis. J Gen Intern Med 2000; 15(9):659-66.11. Tofferi JK, Jackson JL, O’Malley PG. Treatment of bromyalgia with cyclobenzaprine: A meta-analysis. Arthritis Rheum 2004; 51(1):9-13.12. Furlan AD, Sandoval JA, Mailis-Gagnon A, Tunks E. Opioids for chronic noncancer pain: a meta-analysis of effectiveness and side effects. CMAJ 2006; 174(11):1589-94.13. Thomas E, Blotman F. Are antidepressants effective in bromyalgia? Joint Bone Spine 2002; 69(6):531-3.14. Jacobs JW, Geenen R. Are antidepressant drugs efcacious in the treatment of bromyalgia? West J Med 2001; 175(5):314.15. Mayhew E, Ernst E. Acupuncture for bromyalgia--a systematic review of randomized clinical trials. Rheumatology (Oxford) 2007; 46(5):801-4.16. Perrot S, Javier RM, Marty M, Le Jeunne C, Laroche F; CEDR (Cercle d’Étude de la Douleur en Rhumatologie France), French Rheumatological Society, Pain Study Section. Is there any evidence to support the use of anti-depressants in painful rheumatological conditions? Systematic review of pharmacological and clinical studies. Rheumatology (Oxford) 2008; 47(8):1117-23.17. Mannerkorpi K, Iversen. Physical exercise in bromyalgia and related syndromes. Best Pract Res Clin Rheumatol 2003; 17(4):629-47.18. Holdcraft LC, Asse N, Buchwald D. Complementary and alternative medicine in bromyalgia and related syndromes. Best Pract Res Clin Rheumatol 2003; 17(4):667-83.19. Jung AC, Staiger T, Sullivan M. The efcacy of selective serotonin reuptake inhibitors for the management of chronic pain. J Gen Intern Med 1997; 12(6):384-9.20. Sim J, Adams N. Systematic review of randomized controlled trials of nonpharmacological interventions for bromyalgia. Clin J Pain 2002; 18(5):324-36.21. Mannerkorpi K, Henriksson C. Non-pharmacological treatment of chronic widespread musculoskeletal pain. Best Pract Res Clin Rheumatol 2007; 21(3):513-34.22. Crofford LJ.Pain management in bromyalgia. Curr Opin Rheum 2008; 20(3);246-250.23. Busch AJ, Barber KA, Overend TJ, Peloso PMJ, Schachter CL. Exercise for treating bromyalgia syndrome. Cochrane Database of Systematic Reviews 2007, Issue 4. Art. No.: CD003786. DOI: 10.1002/14651858.CD003786.pub2.24. University of Texas, School of Nursing, Family Nurse Practitioner Program. Fibromyalgia treatment guideline. Austin (TX): University of Texas, School of Nursing; 2005. 13 p.25. Buckhardt CS, Goldenberg D, Crofford L, Gerwin R, Gowans S, Kugel P et al. Guideline for the management of bromyalgia syndrome pain in adults and children. APS Clinical Practice Guidelines Series, No 4. Glenview, IL: American Pain Society; 2005.26. Institute for Clinical Systems Improvement (ICSI). Assessment and management of chronic pain. Bloomington (MN): Institute for Clinical Systems Improvement (ICSI); 2007. 87 p.27. Development and validation of an international appraisal instrument for assessing the quality of clinical practice guidelines: the AGREE project. Qual. Saf. Health Care 2003; 12;18-23.

No século passado, atribuía-se o grande número de pessoas com dor lombar aos esforços feitos pelo corpo de forma repetida e errada, e com o desenvolvimento tecnológico, a tendência seria diminuir, já que hoje, se quisermos, não precisamos nem sair de casa para nada. E quanto aos atletas, seres fortes, saudáveis, com abdominais invejáveis (para alguns), exemplos de saúde, qual a razão de também sofrerem com as malditas dores? Fortalecer a musculatura ou alongar? Só abdominal resolve? Perguntas como estas são diárias nos consultórios e academias, só que não é tão simples assim. A boa saúde de nosso organismo como um todo depende de uma diversidade de fatores, em sua maioria, muito simples e que muitos teimam em complicar. Para um corpo ser saudável, ele precisa de fortalecimento e atividade, alongamento e repouso, além, é claro, de uma boa nutrição e hidratação.
Os discos intervertebrais sofrem um desgaste com o tempo e o uso repetitivo, facilitando a formação de hérnias de disco, ou seja, parte deles sai da posição normal e comprime as raízes nervosas que emergem da coluna. Além disso, muitos indivíduos apresentam predisposição genética e maus hábitos de vida. Esse problema é mais frequente nas regiões lombar e cervical, por serem áreas mais expostas ao movimento e que suportam mais carga.
Essa doença é mais comum entre as mulheres, mas todos os sexos e diversas faixas etária podem ser atingidos. Ela também pode ser adquirida geneticamente e caso exista algum caso em sua família basta procurar um médico especialista. A blogueira Mirian Assis que possui a síndrome, relata como foi sua descoberta: "Tenho 39 anos e era bem ativa até quatro anos atrás, quando comecei a sentir dores no peito, tonturas, picos de pressão e desmaios, indo parar no posto de saúde. Procurei ortopedistas, neurologistas e cardiologistas, sempre fazendo exames que não davam em nada. Eu só piorava, até fui encaminhada para um reumatologista. Recebi então o diagnóstico de fibromialgia, síndrome que me causa muita dor, depressão e outros sintomas".
Caracterizada por um desvio no plano frontal (ou seja, no sentido látero-lateral), os desvios das vértebras fazem um ângulo de inclinação lateral, compensando com uma rotação do lado oposto, numa tentativa de restaurar a gravidade para o centro, esta rotação também provoca uma assimetria de costelas e conseqüente deformação da caixa torácica, esta deformação é conhecido como corcunda da costela.
A dor pode instalar-se de forma gradual (vai doendo cada vez mais) ou, então, pode surgir de forma súbita (“repentina” ou “de repente”), sendo que este facto e a intensidade da dor não estão, por norma, diretamente relacionados com a gravidade do problema. A dor nas costas é um sintoma que deverá ser sempre avaliado pelo médico. Se a dor nas costas for muito forte ou se houver outros sintomas como febre, arrepios, perda de peso, dificuldade em respirar, problemas em se movimentar, entre outros sinais e sintomas a valorizar, deverá procurar um médico com urgência.
Não existe ainda diagnóstico médico sobre as causas da fibromialgia, mas sim, vários fatores associados frequentemente a ela. Os quais podemos citar como: genética devido a ocorrência em pessoas da mesma família, distúrbio do sono, ansiedade, sedentarismo, depressão, infecções por vírus, doenças autoimunes, trauma físico ou emocional e estresse psicológico. Mas, segundo o Colégio Americano de Reumatologia, os principais parâmetros que podem diagnosticar um pessoa como portadora de fibromialgia hoje envolvem a presença de dor por mais de três meses em diferentes áreas do corpo, acompanhada de fadiga, distúrbios do sono e de memória ou, ainda, problemas gastrointestinais.
Dor nas costas + pernas: geralmente, está relacionada à pressão do nervo ciático, o qual se localiza entre o final da coluna vertebral e o início das nádegas. Se sentir dificuldade para andar, ficar sentada, deitar ou realizar qualquer outro movimento, procure um médico, pois pode ser algum problema de postura. Um ortopedista deve te indicar o tratamento correto e os medicamentos correspondentes.
Atendendo ao fato de que a fisioterapia comumente usa recursos, como ultrassom terapêutico e terapia a laser, terapias essas que já demonstraram ter um grande potencial para diminuir a dor e a capacidade funcional dos pacientes com fibromialgia, uma equipe de pesquisadores do Grupo de Óptica do CEPOF-IFSC/USP, constituída pelos fisioterapeutas Juliana Amaral e Daniel Marques Franco, e os pesquisadores Antonio de Aquino Junior e Vanderlei Salvador Bagnato, descobriram um novo método bem mais eficaz no combate às dores e incapacidades provocadas pela doença.
Os materiais e as informações contidas no canal Remédios Caseiros são fornecidos apenas para fins gerais e educacionais e não constituem qualquer aconselhamento jurídico, médico ou outro em qualquer assunto. Nenhuma das informações sobre os nossos vídeos é um substituto para um diagnóstico e tratamento por seu profissional de saúde. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro profissional de saúde qualificado antes de iniciar qualquer nova dieta ou tratamento e com qualquer dúvida que possa ter a respeito de uma condição médica. Se você tiver ou suspeitar que você tem um problema médico, contate imediatamente o seu prestador de cuidados de saúde.
Propósito e Paixão: Eu sou um Doutor em Quiropraxia especializado em terapias progressivas e avançadas e procedimentos de reabilitação funcional focados em fisiologia clínica, saúde total, treinamento prático de força e condicionamento completo. Nós nos concentramos em restaurar as funções normais do corpo após lesões no pescoço, nas costas, na coluna vertebral e nos tecidos moles.

De acordo com Marcelle Cunha, fisioterapeuta dermatofuncional da Clínica Arthys, o shiatsu utiliza os mesmos pontos da acupuntura, sem a presença de agulhas. "A técnica consiste em uma massagem vigorosa e relaxante. Ela é indicada para aliviar pontos de tensão na cervical e região lombar. Para tratar uma crise, são recomendadas cinco sessões de shiatsu. O ideal é continuar as sessões, como forma de prevenção". Grávidas e hipertensos não podem ser submetidos ao tratamento.


É excelente para diluir ansiedade, angústia e colapsos nervosos (pode ser aplicado até quando a pessoa está em crise violenta e descontrolada). Este é um dos pontos de emergência usados em caso de colapso geral do organismo (exaustão, desmaio e outras situações semelhantes) pois, através da sua massagem conseguimos incentivar o músculo cardíaco a reagir, a apaziguar seus movimentos, a equilibrar suas funções.
Se for mulher com mais de 40 anos, deverá ponderar a hipótese de tomar suplementos de cálcio. É recomendado que as mulheres tomem um suplemento de 150 miligramas todos os dias. O cálcio ajuda a proteger a coluna e o resto do esqueleto da osteoporose, a doença que provoca erosão e enfraquecimento dos ossos. Em especial nas mulheres mais velhas, há o risco de as vértebras poderem fraturar-se, caso estejam enfraquecidas devido à osteoporose. Contudo, o cálcio pode ajudar a prevenir esta doença. Se tiver um historial familiar de osteoporose fale com o seu médico sobre a terapia hormonal, que também poderá ajudar a proteger a coluna.
Atualmente, com tantas horas no trânsito, motoristas e passageiros não podem abrir mão de certos cuidados com a coluna. O banco dos veículos é o primeiro obstáculo a ser vencido. A padronização dos assentos usados pelos meios de transporte contribui para os maus hábitos posturais, pois raramente dão suporte adequado à coluna lombar. O encosto ideal deve fornecer um suporte lombar para que a lordose seja mantida, evitando assim futuras dores lombares ou prevenindo o agravamento das lesões já instaladas.

Se o seu emprego implica levantar pesos com frequência use um cinto abdominal. Este vai empurrar o abdómen para dentro, ajuda a apoiar a coluna e lembra-lo de levantar os pesos de forma correta. Os halterofilistas usam este tipo de cinta para protegerem as costas durante os exercícios. As cintas encontram-se à venda em boas lojas de artigos desportivos e centros comerciais.


Abdala esclarece que, normalmente, ao respirar, é mais comum sentir dor nas costas por questões musculares. “Quem sofre de artrose tende a ter a musculatura intercostal acometida. Ou, quando está frio, o mesmo acontece com várias pessoas. A dor ao respirar também pode se manifestar a partir de um trauma, ou seja, quando há lesão em alguma parte da coluna (bateu, caiu, etc.)”, explica.
Estimulação da medula espinhal de alta frequência é “mais eficaz para dor crônica “. De acordo com um estudo publicado na revista Anesthesiology, uma nova forma de terapia de estimulação da medula espinhal de alta freqüência tem a capacidade de proporcionar alívio da dor mais efetivo sem efeitos colaterais indesejados. O exercício de controle de motor pode ajudar a reduzir a dor nas costas. Os exercícios direcionados aos músculos que suportam e controlam a coluna podem ajudar a reduzir a dor e a incapacidade causada pela dor lombar, diz a pesquisa publicada na Revista Cochrane. 

A acupuntura faz parte da medicina tradicional chinesa e tem como objetivo equilibrar as funções do organismo, o que ajuda a prevenir e tratar problemas de saúde, como dores na coluna. "As agulhas estimulam diferentes pontos, promovendo alívio das dores na primeira aplicação. Qualquer pessoa pode ser submetida ao tratamento, incluindo as grávidas. São necessárias, no mínimo, cinco sessões para tratar as dores nas costas, mas recomenda-se a prática regular como forma de prevenção. Quando o problema já está instalado, a acupuntura deve ser realizada uma vez por semana. Para evitar novas dores, as sessões podem acontecer a cada 15 dias", diz Gabriel.
In obstetric admissions, the use of uterotonic agents to induce labor, episiotomies, and cesarean sections have increased significantly in many countries. In the United States, 10.0%-15.0% of births occur electively (without a medical or obstetric justification) and before 39 weeks of gestation, which includes elective induction of labor and cesarean section. 6 , a Between 1996 and 2007, the number of cesarean sections increased 53.0%, reaching 32.0% of American births. b
É importante lembrar que na acupuntura acredita-se na existência de 3 tipos de ansiedade: a causada por excesso, por estagnação ou por deficiência. Nesse caso, se a auto aplicação não demonstrar resultados, é aconselhável buscar o tratamento profissional. O terapeuta deverá observar qual a sua deficiência energética, escolhendo os pontos mais aconselháveis para trabalhar.

Criar uma lista de desejos. Esse recurso permite que você acompanhe os itens que você está interessado em comprar no futuro. Depois de comprar os itens, eles saem da sua lista e passam para a lista de reordenação rápida. Para adicionar um item à sua Lista de Desejos, basta clicar no link Adicionar à Lista de Desejos. Você pode adicionar à sua lista quantos itens você quiser. Você pode navegar para esta lista através da Minha conta.
Em casa, como tratamento caseiro poderá na fase aguda aplicar gelo (frio) durante cerca de 15 minutos, 3 a 4 vezes ao dia. Nunca deve aplicar a bolsa de gelo diretamente sob a pele (use algo em pano, por exemplo). Após a fase aguda, a aplicação de calor é muito importante para que os músculos possam relaxar. Pode fazer a aplicação de compressas de água quente (calor) nas zonas mais dolorosas ou, então, tomar um banho de imersão em água quente;
Ao comentar com a imprensa, nesta terça-feira, 12 de março, o trabalho que começou a fazer com Matt Killen, coach de putts de Justin Thomas, entre outros, Tiger Woods (foto) explicou que seus problemas no pescoço são em parte reflexos da fusão lombar (Anterior Lumbar Interbody Fusion), a quarta e última cirurgia por que passou nas costas, que basicamente consistiu em resolver um problema crônico de uma hérnia de disco entre a lombar e o sacro (L5/S1), unindo-as com uma prótese aparafusada em cada uma das duas vértebras. E, para Woods, foram as dores no  pescoço que o contribuíram para ele ter um desempenho ruim nos greens nos dois últimos torneios que disputou.

MATERIAL 100% ECO-FRIENDLY ( "amigo da natureza"), sem cola e hipoalergênicos. Testado e testado pela SGS (líder mundial em controle de qualidade). Dentro de espuma Eco, casca exterior 100% algodão. Total de botões 7992 (: 6210, travesseiros: mat 1782) adornam plástico ABS (material resistente que é usado para Lego) o conjunto. As espinhas são "ligadas termoplasticamente" SEM ADESIVO, processo pelo qual os materiais são unidos por calor.
×