PH FISIOTERAPIA MULTIFUNCIONAL】 Você pode usar este conjunto de acupressão de várias maneiras. Sente-se para aliviar o músculo de suas nádegas. Deite-se para massagear suas costas e pescoço. Fique no tapete de unhas para estimular os pontos de acupuntura dos pés. Com o uso regular pode melhorar uma melhoria das queixas, como dores de cabeça, ombro, costas e articulações, tensão e distúrbios circulatórios ocorrem

Ao usar uma esteira de acupressão, o relaxamento é encorajado quando está deitado na esteira e os problemas no corpo são equilibrados. As endorfinas também desempenham um papel importante neste processo. As endorfinas aumentam o fluxo sanguíneo através da geração de calor, e um novo fluxo é adicionado às linhas celulares nervosas. Na área das costas, particularmente na coluna vertebral, existem particularmente muitos nervos. Se os músculos estão relaxados na parte de trás ou na coluna vertebral, o corpo inteiro também pode relaxar. O resultado do relaxamento total é um sono saudável e profundo.
Localize o ponto de pressão abaixo do joelho. Encontre o fundo de seu joelho e meça quatro dedos abaixo dele. Com a mão oposta, coloque um dedo direitamente abaixo do menor dedo de medição (seu dedo mindinho), do lado de fora de sua tíbia. Se encontrou corretamente o ponto de pressão, um músculo dobrará se você mover o pé para cima e para baixo.[5][6]

São diversas possibilidades terapêuticas para compressão do nervo ciático, e devem se basear na queixa principal do paciente e nas disfunções diagnosticadas pelo fisioterapeuta. Em quadros agudos ou de exacerbação, a redução do processo inflamatório e do quadro álgico devem ser considerados, a partir do uso de eletrotermofototerapia. Já que proporciona condições mínimas ao paciente para suportar os exercícios que de fato irão promover melhoras a longo prazo.


Outro estudo sobre a acupuntura no tratamento de lombalgias comparou a acupuntura com a eletroacupuntura e um tratamento placebo. O estudo foi realizado por pesquisadores do Lund University Hospital na Suécia, com 50 pacientes. Os pacientes preencheram um diário da dor para que os pesquisadores analisassem como reagiam ao tratamento. A análise desse diário revelou diferenças significativas entre o tratamento por acupuntura e placebo após um, três e seis meses de tratamento, com a acupuntura apresentando efeitos melhores que o placebo em todos esses intervalos.
Quem sofre com a fibromialgia sabe bem como é conviver com dores nas articulações, músculos, tendões, tecidos moles e em várias outras partes do corpo, de maneira ininterrupta. Um novo tratamento, desenvolvido por pesquisadores do Centro de Pesquisas em Óptica e Fotônica (CEPOF), Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) apoiado pela FAPESP, promete uma esperança para pacientes com a síndrome: a combinação de ultrassom e laser, aplicados na palma das mãos ao invés dos pontos de dor.

É aconselhável que um indivíduo com dor nas costas deve ter uma dieta equilibrada. O leite, o suco, os brotos e as frutas devem ser tomados regularmente todos os dias. Vegetais cozidos no vapor como couve-flor, cenouras, tomates, espinafre e repolho também devem encontrar um lugar na sua tabela de alimentos. Os alimentos picantes, oleosos e pesados, bem como chá, café, pratos doces e coalhada, devem ser eliminados assim que você começar a sofrer de dor nas costas.
Em estudos recentes, realizados na Dinamarca, Finlândia e Irã, pesquisadores relacionaram a dor nas costas com a baixa resistência muscular da coluna. Os estudos sugerem que exercícios sejam feitos para o tronco, com mais repetições e menos carga. Isso inclui exercícios para as costas e abdominais, com a finalidade de fortalecer os músculos e aumentar sua resistência.
Dor nas costas (ou "Dorsalgia") é a dor sentida nas costas. Pode provir dos músculos, nervos, ossos, articulações ou outras estruturas ligadas à coluna vertebral. A dor pode ser constante ou intermitente, localizada ou difusa. Pode ter características em picada ou ardor. A dor cervical pode deslocar-se pelo braço e mão e parte superior das costas. Na parte inferior pode deslocar-se pela perna e pé e incluir fraqueza e dormência.
Lin Tchie Yeng – A psicoterapia ajuda a pessoa a entender e reduzir os fatores desencadeantes. Hoje, em vez da psicoterapia clássica muito difundida no Brasil, defende-se a utilização das terapias cognitivo-comportamentais que buscam modificar a percepção do que acontece ao redor e o comportamento. Se o paciente compreender a causa da doença e desenvolver hábitos e comportamentos adequados, saberá lidar melhor com os episódios dolorosos.
O primeiro sinal de dor dos pacientes mostra que os músculos começam a ficar atrofiados, ou seja, fracos. Isso pode ser visto em pesquisas com pacientes que têm dor na coluna.  A musculatura abdominal é quem dá o sinal aos músculos que protegem a coluna vertebral para que eles fiquem fortalecidos. São músculos mais profundos, que ficam mais próximos da coluna vertebral e são eles que realmente a protegem. Esses músculos são conhecidos como multífidos.
É também importante estar atento às alterações de sono desses pacientes. Os antidepressivos têm a vantagem de regular os períodos de sono. Alguns deles, porém, os mais modernos, devem ser tomados de manhã, porque interferem em determinadas fases do sono o que não acontece com os tricíclicos, como a amitriptilina, que podem ser tomados à noite porque contribuem para o relaxamento muscular e ajudam a dormir.
A não indução ou condução do TP por meio do preparo do colo com o balão cervical ou uso de agentes farmacológicos (prostaglandina ou ocitocina) deu-se de maneira diferente entre os grupos. Em geral, as parturientes consideradas nesse desfecho que não receberam essas intervenções foram: 23,7% no BP6, 15,2% no GT e 50,0% no GC, p = 0,0065 (teste Qui-quadrado). No entanto, não foram significantes as diferenças quando se observam isoladamente os usos do balão cervical, de prostaglandina e limítrofe para as comparações com ocitocina (Tabela 2).
Na consulta, deve descrever todos os sintomas e intensidade da dor. O médico especialista escutará a história do doente e em seguida realizará um exame físico para identificar as possíveis causas da dor. Em seguida, poderá, dependendo da avaliação, solicitar alguns exames de imagem para diagnosticar a causa da ciática, tais como Raio-X, Ressonância magnética ou TAC.
É muito comum que esses sintomas apareçam também pela prática esportiva, como corrida e musculação, ou em atletas que praticam esportes com saltos. Todos esses esportes solicitam os músculos dos glúteos e o piriforme. Na grande maioria o trajeto do nervo ciático passa por baixo do músculo-piriforme. Em 10% da população, o nervo ciático passa por dentro dele. Assim, qualquer alteração desse músculo poderá causar dor no local ou problemas de sensibilidade na perna. Portanto, devemos ter cuidado ao fortalecer essa região e, somente nesses casos, é que o alongamento do piriforme aliviará de imediato as dores localizadas e as irradiadas para a perna.
Quando a lombalgia dura mais do que três meses, ou acomentendo mais as pernas do que as costas, um diagnóstico mais específico deverá ser feito. Existem várias causas comuns de lombalgia e dores nas pernas: para adultos abaixo de 50 anos, estas incluem hérnia de disco e moléstia degenerativa de disco; em adultos com mais de 50 anos, causas comuns também incluem osteoartrite e estenose espinhal. Todavia, alguns pesquisadores acreditam que 90% destas dores nas costas decorrem de uma síndrome de tensão nervosa e que são causadas por estresse emocional[4].

Na consulta, deve descrever todos os sintomas e intensidade da dor. O médico especialista escutará a história do doente e em seguida realizará um exame físico para identificar as possíveis causas da dor. Em seguida, poderá, dependendo da avaliação, solicitar alguns exames de imagem para diagnosticar a causa da ciática, tais como Raio-X, Ressonância magnética ou TAC.


Síndrome de Cauda equina – a cauda equina é um feixe de raízes do nervo espinhal que surgem a partir da extremidade inferior da medula espinhal. As pessoas com síndrome da cauda equina sentem uma dor aborrecida na parte inferior das costas e nádegas superiores, bem como a analgesia (falta de sensação) nas nádegas, genitais e coxas. Às vezes, há distúrbios da função intestinal e da bexiga.
As dores nas costas raramente são muito graves e se resolvem quase sempre após alguns dias mediante o uso de medicamentos ou outros tratamentos. É importante diferenciar a dor nas costas da hérnia de disco, que é uma doença específica que surge quando os elementos moles da coluna (discos vertebrais, nervos) são pressionados por má postura, sobrecarga, fraqueza muscular, etc.
A emissão conjugada de laser de baixa intensidade e ultrassom terapêutico, de acordo com os pesquisadores, tem reduzido consideravelmente a dor de pacientes com fibromialgia. Segundo os estudiosos, além da redução da dor, o tratamento feito na palma das mãos apresenta maior ação analgésica e anti-inflamatória, melhorando o sono, a capacidade de executar tarefas cotidianas e a qualidade de vida dos pacientes. O estudo foi publicado no Journal of Novel Physiotherapies.
Parece que a náusea é parte da vida, esteja você grávida, de ressaca, fazendo tratamento por quimioterapia, ou enjoado. Embora você possa ter ouvido falar de acupuntura, uma terapia com agulhas, a acupressão é uma terapia que simplesmente se baseia na massagem dos principais pontos de pressão para aliviar os sintomas. Ela é uma maneira rápida e barata de lidar com náuseas, sem efeitos colaterais nocivos, embora pesquisas ainda sejam necessárias para provar sua eficácia.[1]Aprenda os pontos de pressão, em seguida, use seus dedos ou uma pulseira para começar a sentir alívio!

– Alguns dias após o início da inflamação e principalmente de dor nas costas, é possível utilizar o calor para melhorar sintomas como a dor, calor melhora a circulação sanguínea. Use bolsas quentes (hot pack) disponível nas farmácias. Aplicar por 15-20 minutos várias vezes ao dia e evite a aplicação de bolsas muito quentes. Também é possível continuar a aplicação da bolsa fria, alternando com a quente, por exemplo.
A fibromialgia é uma doença crônica invisível que atinge de 3% a 10% da população mundial, tendo maior ocorrência em mulheres. Apesar das dores constantes em quase todo o corpo, os pacientes não apresentam lesão, inflamação ou degeneração dos tecidos. A doença também está envolta em outros dois mistérios: ainda não se sabe a causa e muito menos a cura para ela.
Sim. É possível você aplicar esta técnica em você mesmo. Porém, nem todos os pontos estão ao alcance fácil. Todavia, muitos deles são fáceis de pressionar, como os pontos da mão, por exemplo. E o mais legal é que você pode realizar esta técnica em qualquer lugar, sem necessidade de nenhum material ou ambiente específico. Pode-se fazê-la no elevador, na academia, na fila do super-mercado, etc.
Essa dor pode ser aguda ou crônica. A dor aguda dura, normalmente, de quatro a seis semanas, enquanto a dor crônica pode durar toda uma vida, indicando um problema bem mais grave na coluna vertebral. O paciente descreve que sua coluna está travada, ele tem limitação na flexão anterior da coluna, dor e limitações nos primeiros movimentos pela manhã.
Está indicada quando a dor é muito intensa e resiste às medidas acima referidas, se surgir diminuição da força muscular ou dormência persistente num membro. O objetivo da intervenção cirúrgica é corrigir a causa da compressão do nervo ciático. A causa mais comum de dor ciática é a hérnia discal e a cirurgia para a sua cura consiste na sua remoção e do disco intervertebral que provoca a compressão.
Há estudos demonstrando a eficiência de pilates, treinamento funcional, musculação convencional, ioga, caminhada, entre outros, no alívio dos sintomas e na melhora da qualidade de vida. Parece que o principal determinante dos resultados é como os exercícios são prescritos e supervisionados. Além das informações decorrentes de relatórios dos profissionais de saúde que acompanharam as fases iniciais do problema, dos laudos dos exames de imagem e da avaliação física inicial, antes da prescrição de exercícios propriamente dita, é fundamental compreender como se sente um indivíduo recém-chegado de um tratamento de quadro agudo ou crônico de dor na coluna vertebral: inseguro sobre suas possibilidades de movimento, com muito medo de novas crises e, no caso de praticantes regulares de atividade física, ansioso para treinar. Respeitar esse momento de retorno, atentar para as particularidades de cada caso e progredir de acordo com as respostas aos exercícios aumenta bastante a chance de sucesso.
×