Segundo a lenda, foi um camponês chinês que sofria de dores de cabeça que desenvolveu a técnica da acupressão. Enquanto lavrava, ele deixou o arado cair no dedão do pé. Pouco depois, suas dores de cabeça desapareceram. No dia seguinte, após o surgimento de uma nova dor de cabeça, ele repetiu a experiência, e o resultado foi o mesmo. Não sabemos se essa história é verdadeira ou não, mas a acupressão parece ser realmente originária da China, assim como a acupuntura. Mas, apesar de ambas as práticas estarem relacionadas, a acupressão não utiliza agulhas.
A Estimulação Elétrica Transcutânea (TENS) em suas diferentes modalidades (convencional, acupuntura, burst e breve/intenso) é uma estratégia interessante. Principalmente para a liberação de opioides endógenos e para atuar na teoria do portão da dor, aliviando o principal sintoma limitante que os pacientes apresentam. Com o objetivo de acelerar o mecanismo de reparo tecidual, o laser terapêutico e o ultrassom em modo pulsado podem ser os aparelhos de escolha.
A coach Lívia Teixeira, que também é portadora de fibromialgia, ajuda pessoas que passam pelas mesmas situações que ela. "Viver com fibromialgia é extremamente desafiador e completamente exaustivo. Imagine sentir dor o tempo todo, no corpo todo, não saber a causa nem o que fazer para melhorar e sua única certeza ser o fato de que fibromialgia não tem cura. Sou portadora desde criança. Passei por momentos em que achei que não ia aguentar, saindo de casa todos os dias como se estivesse saindo para a guerra: armada, rígida, preocupada e sem saber se voltaria viva – metaforicamente falando – apesar de às vezes a sensação ser de quase morte. Aos poucos fui encontrando meu caminho e aprendi a conviver com a síndrome", explica.

“Em 2013, pesquisadores alemães usaram o método para tratar pacientes com dores musculares crônicas na região cervical, com bons resultados, porém os próprios autores sugeriram que mais estudos fossem feitos a respeito do método. Já em 2014, autores de Oxford pesquisaram artigos sobre o assunto e concluíram que existem poucas evidências científicas que comprovem a eficácia do método”, conta o ortopedista Sergio Mauricio.


4 - tradicional chinesa medicina Ver os pés como um elemento-chave para a saúde global. Cada pé contém centenas de nervos e vasos sanguíneos. Existem na verdade 60 reflexos pontos específicos em cada pé que correspondem diretamente com outras partes do corpo, tais como o fígado, rim, coração, etc. Estas massagem sapatos uso cuidadosamente posicionado acupressão Primavera botões para direcionar cada ponto reflexo específico sobre seus pés para estimular a melhor saúde.
A dor crônica é aquela que ultrapassa até três semanas e pode piorar ou ter picos de dor. Enquanto isso a aguda tem uma intensidade mais leve e não ultrapassa um tempo tão grande, podendo no máximo passar de um dia para o outro. Quando é o caso de dor aguda, não é necessário medicação ou uma investigação mais detalhada, já a crônica é bem possível que tenha de se fazer uma investigação mais detalhada.
Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia59Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66lidades de tratamentos não farmacológico e farmacológico. O tratamento deve ser elaborado, em discussão com o paciente, de acordo com a intensidade da sua dor, funcionalidade e suas características, (grau de recomendação A),8,25 sendo importante também levar em consideração suas questões biopsicossociais, (grau de recomendação D) (Grupo I-SBR) e culturais (grau de recomendação D).26 A dor crônica é um estado de saúde persistente que modica a vida. O objetivo do seu tratamento é o controle e não sua eliminação (grau de recomendação D).26Tratamento medicamentosoDentre os compostos tricíclicos, a amitriptilina, e entre os relaxantes musculares, a ciclobenzaprina reduzem a dor e frequentemente melhoram a capacidade funcional estando, portanto, recomendadas para o tratamento da bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 A nortriptilina foi recomendada pelo grupo para o tratamento da bromialgia, ao contrário da imipramina e da clomipramina que não foram recomendadas (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).Entre os inibidores seletivos de recaptação da serotonina, houve consenso de que a uoxetina em altas doses (acima de 40 mg) também reduz a dor e frequentemente melhora a capa-cidade funcional sendo também recomendada para o tratamento da bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 O uso de inibidores da recaptação da serotonina, como a uoxetina, em combinação com tricíclicos também está reco-mendado no tratamento da bromialgia (grau de recomendação B).25 O uso isolado dos demais inibidores de recaptação da serotonina, como a sertralina, a paroxetina, o citalopram e o escitalopram, não foi recomendado (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).Dentre os antidepressivos que bloqueiam a recaptação da serotonina e da noradrenalina, a duloxetina e o milnaciprano foram recomendados por reduzirem a dor e frequentemente melhorarem a capacidade funcional dos pacientes com bro-mialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 Não houve consenso quanto à utilização da venlafaxina em pacien-tes com bromialgia (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).A moclobemida, um antidepressivo inibidor da MAO, foi recomendada no tratamento da bromialgia por reduzir a dor e frequentemente melhorar a capacidade funcional dos pacientes com bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8Não houve consenso quanto à utilização da trazodona em pacientes com bromialgia (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).técnica do consenso e estruturação das reuniões do consenso brasileiro para o tratamento da bromialgia.Os recursos provenientes para a realização deste consenso foram obtidos dos laboratórios Mantecorp Indústria Química e Farmacêutica Ltda., Janssen-Cilag Farmacêutica Ltda., Ap-sen Farmacêutica S/A e Laboratórios Pzer Ltda. Cada uma dessas empresas contribuiu com uma cota igual, referente a ¼ dos custos. A captação dos recursos cou a cargo da empresa Axia.Bio, que contatou e se reuniu com os responsáveis dessas empresas. O nome dos especialistas envolvidos neste trabalho foi mantido em sigilo, e qualquer contato dessas empresas com médicos participantes do consenso foi proibido. Dessa forma, pudemos garantir a isenção dos nossos resultados. RESULTADOSForam votadas 74 questões, atingindo-se consenso em 68 (92%) destas. Somente seis (8%) questões não obtiveram consenso.Diagnóstico e recomendações geraisA bromialgia deve ser reconhecida como um estado de saúde complexo e heterogêneo no qual há um distúrbio no processa-mento da dor associado a outras características secundárias,8 (grau de recomendação D, nível de evidência IV). O diagnóstico da bromialgia é exclusivamente clínico e eventuais exames subsidiários podem ser solicitados apenas para diagnóstico diferencial (grau de recomendação D) (Grupo I). O diagnóstico deve ser conrmado logo ao início do tratamento, para que possamos esclarecer ao paciente o que é verdadeiro e o que é falso (grau de recomendação D).25 A orientação ao paciente é fator crítico para o controle ideal da bromialgia (grau de recomendação B).25 Como parte inicial do tratamento, devemos fornecer aos pacientes informações básicas sobre a bromialgia e suas opções de tratamento, orientando-os sobre controle da dor e programas de autocontrole (grau de recomendação A).25 A completa compreensão da bromialgia requer uma ava-liação abrangente da dor, da função e do contexto psicossocial (grau de recomendação D, nível de evidência IV).8 Além da dor, é importante avaliar a gravidade dos outros sintomas como fadiga, distúrbios do sono, do humor, da cognição e o impacto destes sobre a qualidade de vida do paciente (grau de recomendação D).25 Houve consenso que a bromialgia não justica afastamento do trabalho (grau de recomendação D) (Grupo I-SBR).A estratégia para o tratamento ideal da bromialgia requer uma abordagem multidisciplinar com a combinação de moda-
Esse trabalho é baseado numa pesquisa científica que foi iniciada em 1995 em Pittsburg, EUA, depois foi revisada em 2005 e 2010 por Jullie Fritz e publicada nos principais jornais e revistas científicas do mundo. A pesquisa identificou que para cada tipo de dor existem diretrizes de tratamento a serem seguidas, ou seja, as manifestações dolorosas são classificadas e recebem tratamento específico, podendo ser: manipulação ou mobilização articular; a mesa de tração; exercícios direcionais; a estabilização segmentar vertebral e a estabilização dinâmica, que atuam fortalecendo a musculatura profunda da coluna. Esses são os quatro caminhos preconizados pela pesquisa de subclassificação.
Os tratamentos podem ser feitos à base de medicamentos (como antiinflamatórios, corticóides, miorrelaxantes e opióides), fisioterapia e exercicios físicos, cirurgia ou tratamentos alternativos. Plantas como o salgueiro-branco e a arnica e também a homeopatia são indicadas. Os pacientes não devem se automedicar, mas procurar assistência adequada, pois muitos medicamentos analgésicos causam severos efeitos colaterais.

Woods conta que o problema no pescoço que o levou a desistir de jogar no Arnold Palmer Invitational, na última semana, começou a incomodá-lo durante o Genesis Open, no Riviera, na Califórnia, e tornou-se pior no WGC-Mexico Championship, na semana seguinte. No Riviera, Woods deu três putts em seis greens e, no México, deu cinco greens de três putts e um de quatro putts, algo nunca visto antes em sua carreira. Apesar disso, conseguiu terminar em 15º lugar no primeiro torneio e em 10º no segundo. Foi quando decidiu pular o Arnold Palmer Invitational, depois de já não ter jogado no Honda Classic.
Essa dor pode ser aguda ou crônica. A dor aguda dura, normalmente, de quatro a seis semanas, enquanto a dor crônica pode durar toda uma vida, indicando um problema bem mais grave na coluna vertebral. O paciente descreve que sua coluna está travada, ele tem limitação na flexão anterior da coluna, dor e limitações nos primeiros movimentos pela manhã.
Muito se fala na musculatura do reto abdominal, mas a importância para a estabilização da coluna está em um músculo mais interno, que se chama transverso abdominal. O trabalho com exercícios para a coluna vertebral visa o fortalecimento do transverso abdominal, pois ele vai ajudar os multífidos, que são os músculos mais profundos e que ficam próximos à coluna vertebral, evitando assim lesões, inclusive a dor ciática.
Para obter alívio imediato no caso de dor ciática aguda, o médico pode recomendar os seguintes medicamentos: anti-inflamatórios não esteroides, cortisona e relaxantes musculares. Muitas vezes o médico prescreve uma injeção de anti-inflamatórios e relaxantes musculares juntos, por exemplo: Muscoril e Voltaren. Se estes princípios ativos não reduzem a dor, o médico pode fazer as infiltrações de cortisona.
A ciática pode ser extremamente incapacitante devido à dor intensa e limitação de atividades diárias. A lombalgia simples, de origem mecânica que acontece após algum esforço ou movimento brusco costuma desaparecer em dois ou três dias sem qualquer medida especial. No entanto, a lombalgia que não melhora rapidamente com essas medidas ou que piora gradualmente, evoluindo com a presença da ciática, com alteração de força ou de sensibilidade, é chamada de lombociatalgia e deve ser avaliada por um especialista em coluna com brevidade.
×