De acuerdo con el Colegio Americano de Reumatología: El diagnostico debe hacerse si: El dolor en los músculos debería estar presentes durante más de tres meses y no encontrar causa aparente para el dolor. Además, el dolor debe ocurrir en los sitios específicos del cuerpo llamados puntos de hipersensibles. Hay 18 de estos puntos sensibles. Su médico hace el diagnóstico mediante la aplicación de una presión suave a los puntos sensibles. Si el malestar se produce en 11 o más de estos puntos, se considerara que  el examen físico es positivo para la fibromialgia.
Muitos fatores são importantes para evitar que uma lombalgia aguda se torne crônica. A correção postural, principalmente na maneira de se sentar no trabalho e na escola é essencial. Na fase aguda, a ginástica é importante. Quando fizer exercício com pesos na ginástica, proteja a coluna deitando ou sentando com apoio nas costas. Sempre evitar carregar peso. Não permanecer curvado por muito tempo. Quando se abaixar no chão, dobrar os joelhos e não dobrar a coluna. Para outros esclarecimentos, consulte o seu médico ortopedista.
A causa mais comum da lombalgia aguda é algum movimento errado que o paciente fez no seu dia a dia, como: carregar peso em excesso ou de forma errada; abaixar o tronco para pegar algum objeto com as pernas esticadas; fazer rotação do corpo mantendo os pés parados no chão, ao invés de rodar todo o corpo; pegar algum objeto em uma estante alta inclinando o corpo para trás, dentre outros comportamentos.

A anamnese (levantamento da história clínica do paciente) e o exame físico para identificar as raízes nervosas comprometidas são elementos de importância reconhecida para o diagnóstico da ciatalgia. Conforme o caso, exames de imagem como raios X, tomografia computadorizada e ressonância magnética podem fornecer dados que ajudam a confirmar o diagnóstico e a instituir o tratamento.
Mas, afinal, por que a bursite no quadril faz mais vítimas mulheres? “A bursite no quadril, chamada formalmente de bursite trocantérica, atinge mais pessoas do sexo feminino por causa da biomecânica do quadril (entenda aqui), que é diferente da dos homens”, explica Christina May Moran, fisiatra e coordenadora do Centro de Reabilitação do Hospital Sírio-Libanês. 

8 minutos Alimentação para fibromialgia: comer bem ajuda a diminuir as dores de fibromialgia?  Alguns médicos especialistas afirmam que, comer de forma correta pode ser o melhor remédio para a fibromialgia. Seja bem-vindo ao blog Sua Solução Online. No post de hoje da nossa série sobre tratamento para fibromialgia, iremos falar sobre alimentação para pessoas com síndrome de fibromialgia. A maior parte das pessoas que tem fibromialgia nem imaginam o quanto que a alimentação influencia, tanto como causa quanto como uma solução para o Continue lendo→
Auxílio prático: o tapete pode ser facilmente integrado na vida quotidiana sem esforço. Uma vez que tantos pontos de acupressão são simultaneamente ativados pelo próprio peso corporal, o efeito é muito forte. Você sente uma ligeira pressão agradável das pontas na parte de trás, é agradavelmente quente e de bom sangue. No início, descanse por cerca de 10 minutos no tapete, aumente o tempo à vontade.
Fatores de saúde mentais: questões de saúde mental pré-existentes tais como ansiedade e depressão podem influenciar na dor crônica, bem como a percepção da sua gravidade. Dor que se torna crônica também pode contribuir para o desenvolvimento de tais fatores psicológicos. O estresse pode afetar o corpo de várias maneiras, incluindo causando tensão muscular.
Atualmente, 52,0% dos partos realizados no Brasil são cirúrgicos, proporção claramente excessiva se comparada aos 5,0% a 15,0% preconizados pela Organização Mundial de Saúde. A validação de terapias alternativas que promovam melhor evolução do trabalho de parto e, consequentemente, do parto vaginal podem contribuir na redução do número de cesáreas e no dimensionamento de políticas relacionadas.
“Deve-se respeitar as distâncias compatíveis com a idade. Não existe uma regra clara para isso, mas quanto mais nova a criança, menor deve ser a distância, até porque distâncias muito longas desestimulam. O que também pode causar lesões são superfícies instáveis, inclinações e obstáculos. No mais, as crianças podem brincar de correr à vontade. Oferecer água também é um estratégia que diminui as chances de lesões”, ressalta o profissional de educação física.
Os materiais e as informações contidas no canal Remédios Caseiros são fornecidos apenas para fins gerais e educacionais e não constituem qualquer aconselhamento jurídico, médico ou outro em qualquer assunto. Nenhuma das informações sobre os nossos vídeos é um substituto para um diagnóstico e tratamento por seu profissional de saúde. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro profissional de saúde qualificado antes de iniciar qualquer nova dieta ou tratamento e com qualquer dúvida que possa ter a respeito de uma condição médica. Se você tiver ou suspeitar que você tem um problema médico, contate imediatamente o seu prestador de cuidados de saúde.
O processo natural de envelhecimento é uma inevitabilidade e muito associado à dor de costas, sendo um importante fator de risco em algumas patologias. O excesso de peso (obesidade), muitas vezes associado a maus hábitos alimentares provoca uma maior pressão sobe a coluna. O sedentarismo e ausência de exercício físico, não só podem agravar o problema do excesso de peso, como não permitem ter músculos que permitam sustentar a coluna de uma forma adequada, podendo desencadear crises. As posturas incorretas, seja de pé sentado ou deitado, são também um dos fatores que podem desencadear o problema. Uma postura correta é determinante para prevenir a dor nas costas. O tabagismo (fumar) também aumenta o risco de vir a padecer de dor nas costas. Veja mais informação em prevenção.
Este modelo é dividido em três estágios. No primeiro, chamado de Cognitivo, o paciente é educado quanto a anatomia, função, importância e forma de contração correta destas musculaturas. O treino geralmente é iniciado na posição deitada, mas deverá progredir para as posições sentada, em pé e em quatro apoios. O fisioterapeuta ensina ao paciente a localização dos músculos, a realizar a palpação deles colocando os dedos indicador e médio na região inferior do abdômen, e a contraí-los levando sutilmente o umbigo para dentro até sentir uma leve tensão sob os dedos.
Fortalecer e alongar os músculos abdominais e das costas depois de a dor inicial se ter dissipado ajudá-lo-á a prevenir a recorrência da mesma. A marcha será sem duvida uma excelente opção, assim como a bicicleta estática. Se comprar uma bicicleta escolha a que melhor se adapta ao seu caso especifico. A natação é uma modalidade que também deve ser considerada. Opte pelo estilo que lhe for mais cómodo, pois, por exemplo, nadar de costas protege mais as costas do que os estilos crawl ou bruços. Definir um programa de exercícios em conjunto com um fisioterapeuta ajudá-lo-á a não ultrapassar os seus próprios limites. 

“O tratamento com ventosas serve para o alívio de dores, estética facial e corporal e também para o condicionamento físico. No alívio de dores, podemos utilizá-lo em traumas como entorses, distensão muscular, contraturas ou simplesmente para aliviar a fadiga muscular. Na estética facial, serve para minimizar rugas e marcas de expressão, além de estimular a formação do colágeno, o que deixará a pele com aspecto mais jovem”, diz Lutaif.
Este ponto de acupressão fica localizado entre o polegar direito e dedo indicador. Começando pela mão direita, para pressionar este ponto a sua mão deve estar relaxada, com os dedos ligeiramente curvados e o ponto deve ser pressionado com o polegar esquerdo e o dedo indicador esquerdo, de forma a que estes dois dedos formem uma pinça. Os restantes dedos da mão esquerda devem ficar em repouso, logo em baixo da mão direita. 
O grupo de BP6 apresentou menor taxa de cesárea entre os grupos deste estudo. Já o GC, com 15,4% a mais de cesárea em relação ao grupo BP6, aproximou-se da taxa registrada no último relatório anual da instituição onde se realizou o estudo (44,5% de cesáreas em 2013); f porém, na análise estatística, não apresentou diferença significativa. Contrariamente, dois ECR mostraram redução significante no número de cesáreas, sendo de 10,0% dessa via de parto em um dos estudos 18 e 12,8% no outro. 7 No entanto, esses estudos incluíram somente mulheres nulíparas ou sem cesárea anterior.
As contraturas musculares são uma importante causa para o surgimento de dor nas costas, mais frequentemente, na região lombar. Muitas vezes, a dor aguda pode surgir com a realização de algum movimento como pegar num dado objeto, popularmente apelidadas de dar um “mau jeito nas costas”. A dor nas costas ao levantar da cama (ao acordar), pode também estar relacionado com más posições para dormir ou o colchão não ser adequado. A dor crónica, no entanto, na maioria dos casos, está relacionada com as alterações que ocorrem na coluna ao longo do tempo (com o envelhecimento). Este processo degenerativo inicia-se muito cedo, antes dos 30 anos de idade, e torna a coluna mais suscetível à dor.
Artrite reumatoide - A dor e inchaço nas articulações podem ser aliviados com a ajuda de medicação receitadas pelo reumatologista. Converse com ele sobre a possibilidade de fazer terapia ocupacional, pois isso ajuda a encontrar formas de realizar as tarefas diárias sem que as articulações sejam danificadas. Se o seu caso for mais sério, o médico pode considerar uma cirurgia para reparar os danos nas articulações e reduzir as deformidades.

"Em 2016 fiz um exame preventivo de rotina e apareceu uma alteração. Era uma lesão pré-cancerígena no colo do útero. Fiz uma pequena cirurgia para retirar e segui fazendo o acompanhamento. Depois desse susto li bastante sobre o câncer de colo de útero e sobre os possíveis efeitos negativos do anticoncepcional. Em 2016 comecei a correr para perder peso, mas não tive muito sucesso. Em 2017 peguei firme na corrida e na reeducação alimentar, aí funcionou. Em maio do mesmo ano decidi parar com a pílula e conversei com a minha ginecologista, que apoiou. Comecei a sentir as primeiras diferenças no humor, melhorei demais nesse quesito. Minha disposição aumentou, me sinto com mais energia. Meu fluxo menstrual mudou também, sem a pílula ficou mais intenso. Mas a pílula tinha tanto hormônio que o meu fluxo só começou a aumentar depois de sete meses. Acho que, além de preservar meu corpo da carga hormonal, ter parado contribuiu para o processo de emagrecimento. Para prevenir a gravidez eu e meu namorado começamos a usar preservativo e nunca tivemos problemas. Mas devo colocar o DIU em breve.”
O tratamento de primeira linha mais comum passa pelos analgésicos ou anti-inflamatórios para alívio de dor, aplicação de gelo ou calor na área dolorida e eventualmente fisioterapia. Ao contrário do que se pensa, o repouso absoluto não é recomendado. Os tratamentos adicionais dependem da doença que está a provocar a ciática. Os medicamentos, bem como a sua forma de administração devem ser SEMPRE prescritos por um médico, nunca devendo o doente automedicar-se. Como opção há a cirurgia, geralmente recomendada para casos que não obtiveram sucesso com tratamentos à base de medicamentos. A cirurgia, quando devidamente indicada, é extremamente eficaz e segura no tratamento da ciática, apresentando muito menores riscos que o uso continuado de medicamentos para alívio de dor. Atualmente, as técnicas minimamente invasivas tornaram a cirurgia à coluna extremamente eficaz e praticamente sem riscos, permitindo uma recuperação muito rápida.

It may take a bit of adjusting to get used to this mat, or just the idea, but it is WELL worth it. Both my husband and I use it. We keep it in the bathroom and stand on it while we brush our teeth. I can't handle it barefoot, but he can. I sometimes wear socks to stand on it or I keep an extra pillow case handy to pull over it - that's the perfect size. I can use it uncovered when I lay on it, though. ENJOY!
Estar sentado à  secretária com os pés assentes no chão, deixa cair um lápis e inclina-se para o lado para o apanhar. Este é um movimento terrível para as suas costas, pois pressiona os discos que amortecem as suas vértebras. Aprender quais os movimentos a evitar poderá ajudá-lo a proteger as costas. Com efeito, análises recentes revelaram que os doentes com dores na região inferior das costas que aprendiam a abordar as dores nas costas e a protegê-las regressavam ao trabalho mais cedo do que aqueles que não eram educados nesse sentido. Vale a pena pedir ao médico materiais ou orientações relacionadas com os cuidados das costas.
A emissão conjugada de laser de baixa intensidade e ultrassom terapêutico, de acordo com os pesquisadores, tem reduzido consideravelmente a dor de pacientes com fibromialgia. Segundo os estudiosos, além da redução da dor, o tratamento feito na palma das mãos apresenta maior ação analgésica e anti-inflamatória, melhorando o sono, a capacidade de executar tarefas cotidianas e a qualidade de vida dos pacientes. O estudo foi publicado no Journal of Novel Physiotherapies.
Neste estudo, a diferença encontrada no tempo de TP, entre os grupos BP6 e placebo, foi parecida com um ECR iraniano 14 que avaliou grupos semelhantes. As parturientes que receberam acupressão no ponto BP6 por 30 min apresentaram 189,0 min a menos de duração do TP quando comparada à média enfrentada pelo GT, mesmo recebendo menos ocitocina (41,7% no grupo BP6 versus 63,3% no GT, p = 0.017). 14
Esportes ou qualquer tipo de movimentação física são indicados para combater o sedentarismo. Pense no nosso corpo como uma máquina: se não manejada corretamente, começam as falhas e panes. Precisamos estar em dia sempre para o bom funcionamento dele.  Veja abaixo algumas dicas de alongamento que podem ajudar no alívio das dores e também do bom posicionamento:
Os pontos de acupressão são facilmente aprendidos e aplicados nas condições do dia a dia. Um profissional habilidoso poderá orientá-lo em seu tratamento caseiro. A acupressão não pretende substituir o tratamento médico tradicional, mas talvez complementá-lo. A medicina ocidental é usada na China moderna em conjunto com esses métodos, trazendo resultados excelentes.
A artrose na coluna (espondilose) é uma alteração degenerativa da coluna vertebral. Na espondilose, sintomas como dor na coluna, desconforto ou tensão nas costas ou pescoço ocorrem frequentemente. A intensidade da dor na coluna pode variar ao longo do dia, modificar com a posição, as atividade e os movimentos, no entanto, na maioria das pessoas não é de tal forma intensa que se torne incapacitante. A dor pode ser limitada à coluna ou, então, irradiar, de forma diferente conforme os segmentos da coluna afetados, por norma, para a cabeça (na espondilose cervical), para a região do tórax (na espondilose dorsal), para as nádegas e virilhas (na espondilose lombar e lombossagrada).

Atualmente, 52,0% dos partos realizados no Brasil são cirúrgicos, proporção claramente excessiva se comparada aos 5,0% a 15,0% preconizados pela Organização Mundial de Saúde. A validação de terapias alternativas que promovam melhor evolução do trabalho de parto e, consequentemente, do parto vaginal podem contribuir na redução do número de cesáreas e no dimensionamento de políticas relacionadas.

Ao contrário do que se pensa, repouso absoluto não é recomendado. Reduza a atividade nos primeiros dois dias, mas, depois, retome-as lentamente. Evite levantar muito peso ou torcer as costas nas primeiras seis semanas após a dor ter iniciado. Após duas a três semanas, volte a se exercitar, caso tenha melhorado das dores. Entre os exercícios básicos que devem constar em seu plano estão exercícios para fortalecer o abdômen e melhorar a flexibilidade da coluna.


ARTIGO ORIGINAL56 Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66Recebido em 06/10/2009. Aprovado, após revisão, em 24/11/2009. Roberto Ezequiel Heymann e Eduardo dos Santos Paiva declaram ter recebido honorários da Lilly, Janssen-Cilag, Boehringer, Apsen e Pfizer para palestras e consultoria; Milton Helfenstein Junior recebeu honorários da Pfizer e Merck Sharp para palestras e consultoria; Daniel Feldman Pollak recebeu honorários da Lilly, Pfizer e Merck Sharp; José Eduardo Martinez recebeu honorários da Sanofi Aventis para palestras e da Pfizer para palestras e consultoria; José Roberto Provenza recebeu honorários dos laboratórios Roche, Bristol, Ache e Pfizer para participar de pesquisas clínicas com novos fármacos na PUC-Campinas; Marcelo Cruz Rezende declara ter recebido honorários da Lilly-Boehringer para a participação em simpósios e da Pfizer para ser palestrante e participar de simpósios; Valério Valim Cristo declara recebimento de honorários por apresentação, conferência ou palestra pela Roche, além de financiamento para a realização de pesquisa, organização de atividade de ensino ou comparecimento a simpósios pela Lilly, Genzyme, Schering-Plough. Os demais autores declararam não haver conflitos de interesse.1. Coordenador do Ambulatório de Fibromialgia da UNIFESP e assistente doutor da Disciplina de Reumatologia da UNIFESP2. Professor Assistente da Disciplina de Reumatologia, UFPR. Chefe do ambulatório de fibromialgia do HC-UFPR3. Assistente doutor da Disciplina de Reumatologia da UNIFESP4. Professor Adjunto da Disciplina de Reumatologia da UNIFESP e chefe do Setor de reumatismos de partes moles da UNIFESP5. Professor titular do Departamento de Medicina da PUC-SP, doutor em Reumatologia pela UNIFESP e diretor da Faculdade de Medicina da PUC-SP6. Professor titular de Reumatologia da PUC-Campinas e chefe do Serviço de Reumatologia do Hospital Universitário da PUC-Campinas7. Professora orientadora da pós-graduação da Faculdade de Ciências da Saúde da UnB e chefe do centro de ambulatórios do Hospital Universitário de Brasília8. Membro da Sociedade Brasileira de Reumatologia9. Mestre em Medicina pelo Instituto de Ensino e Pesquisa da Santa Casa de Belo Horizonte, coordenador do Programa de Residência Médica em Reumatologia e do Ambulatório de Fibromialgia da Santa Casa de Belo Horizonte10. Ex-presidente da Sociedade Brasileira de Reumatologia, biênio 2007-200811. Professora colaboradora da Faculdade de Medicina da USP, assistente doutora do Serviço de Reumatologia e responsável pelo ambulatório de Fibromialgia do Serviço de Reumatologia do HC-FMUSP12. Responsável pelo Setor de Reumatologia e Preceptor do programa de Residência em Clínica Médica da Santa Casa de Campo Grande. Ex-presidente da Sociedade de Reumatologia do Mato Grosso do Sul13. Professor assistente de Reumatologia da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e mestre em Clínica Médica pela UFGRS14. Reumatologista com especialização em Medicina Esportiva do setor de reabilitação, procedimentos e coluna vertebral pela UNIFESP15. Ex-fellow da Universidade da Virgínia (EUA), mestre em Educação e Ciência e professora da UNISUL16. Professora adjunto do Departamento de Clínica Médica, chefe do ambulatório de fibromialgia e chefe do serviço de Reumatologia do Hospital Universi-tário da Universidade Federal do Espírito Santo17. Doutora em Reumatologia pela UNIFESP, membro da Sociedade Brasileira de Reumatologia e da Sociedade Brasileira de Clínica Médica18. Membro da Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor19. Presidente da Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação, professora colaboradora da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e doutora em Medicina pela FMUSP20. Membro da Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação21. Professor titular de Neurologia da Universidade Federal Fluminense (UFF), coordenador do Departamento de Dor da Academia Brasileira de Neurologia (ABN) e do Subcomitê de Dor da European Neurological Society (ENS). Membro da Peripheral Nerve Society22. Doutor em Ortopedia e Traumatologia pela Faculdade de Medicina da USP, médico Assistente do Grupo de Mão e professor colaborador da FMUSP23. Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia24. Membro da Consultoria Axia.Bio farmacoeconomia e pesquisa em saúde25. Diretor executivo do Núcleo de Gestão de Pesquisas da UNIFESP, mestre em Ciências pela UNIFESP e sócio-pesquisador da Axia.BioEndereço para correspondência: Roberto Ezequiel Heymann. Av. Brigadeiro Luiz Antonio, 2466, conj 93-94. São Paulo - SP - CEP 01402-000Consenso brasileiro do tratamento da bromialgiaRoberto Ezequiel Heymann1, Eduardo dos Santos Paiva2, Milton Helfenstein Junior3, Daniel Feldman Pollak4, José Eduardo Martinez5, José Roberto Provenza6, Ana Patrícia Paula6, Antonio Carlos Althoff8, Eduardo José do R. e Souza9, Fernando Neubarth10, Lais Verderame Lage11, Marcelo Cruz Rezende12, Marcos Renato de Assis8, Maria Lucia Lemos Lopes13, Fabio Jennings14, Rejane Leal C. da Costa Araújo15, Valéria Valim Cristo16, Evelin Diana Goldenberg Costa17, Helena Hideko S. Kaziyama18, Lin Tchia Yeng18, Marta Iamamura19, Thais Rodrigues Pato Saron20, Osvaldo J. M. Nascimento21, Luiz Koiti Kimura22, Vilnei Mattioli Leite23, Juliano Oliveira24, Gabriela Tannus Branco de Araújo24, Marcelo Cunio Machado Fonseca25


Postura quando sentado – um bom assento deve ter bom apoio nas costas, apoios para os braços e uma base giratória (para trabalhar). Quando estiver sentado, tente manter seus joelhos e quadris nivelados e mantenha os pés baixos no chão – se você não pode, use um escabelo de pés. Você deve, idealmente, ser capaz de sentar-se de pé com apoio na parte inferior das costas. Se você estiver usando um teclado, certifique-se de que seus cotovelos estão em ângulos retos e que seus antebraços são horizontais.


Muitos fatores são importantes para evitar que uma lombalgia aguda se torne crônica. A correção postural, principalmente na maneira de se sentar no trabalho e na escola é essencial. Na fase aguda, a ginástica é importante. Quando fizer exercício com pesos na ginástica, proteja a coluna deitando ou sentando com apoio nas costas. Sempre evitar carregar peso. Não permanecer curvado por muito tempo. Quando se abaixar no chão, dobrar os joelhos e não dobrar a coluna. Para outros esclarecimentos, consulte o seu médico ortopedista.

Os tratamentos que permitem o alívio sintomático (que permitem abrandar ou acabar com a dor) são eleitos como primeira escolha (tratamento conservador). Em algumas patologias, como por exemplo na hérnia discal, espondilose, etc., estão indicados outros tratamentos, nomeadamente o tratamento cirúrgico (cirurgia ou operação), na falência dos tratamentos conservadores. Veja mais informação sobre tratamento em cada uma das patologias.
O ITC Vertebral desenvolveu uma técnica de tratamento para a coluna vertebral sem procedimentos invasivos. Os pacientes são tratados de acordo com os sintomas e sinais da dor. Não existe um trabalho padrão e é aí que consiste um dos grandes diferenciais do ITC Vertebral: o indivíduo passa por uma avaliação criteriosa, sendo direcionado, a partir dessa primeira etapa, para um atendimento personalizado. Fala-se, portanto, em “Subclassificação” das dores na coluna vertebral, os critérios de tratamento obedecem às características individuais do estado clínico do paciente.
Sim. É possível você aplicar esta técnica em você mesmo. Porém, nem todos os pontos estão ao alcance fácil. Todavia, muitos deles são fáceis de pressionar, como os pontos da mão, por exemplo. E o mais legal é que você pode realizar esta técnica em qualquer lugar, sem necessidade de nenhum material ou ambiente específico. Pode-se fazê-la no elevador, na academia, na fila do super-mercado, etc.

Os tratamentos que permitem o alívio sintomático (que permitem abrandar ou acabar com a dor) são eleitos como primeira escolha (tratamento conservador). Em algumas patologias, como por exemplo na hérnia discal, espondilose, etc., estão indicados outros tratamentos, nomeadamente o tratamento cirúrgico (cirurgia ou operação), na falência dos tratamentos conservadores. Veja mais informação sobre tratamento em cada uma das patologias.
Segundo Gabriel Boal, "a Reeducação Postural Global ou RPG busca alongar e fortalecer grupos musculares que tem relação com as dores nas costas e a má postura. Através de exercícios orientados, a técnica corrige a postura e alivia o incômodo na coluna". Grávidas do primeiro trimestre e pessoas com alterações da função cognitiva, como portadores do mal de Alzheimer, não devem ser submetidos ao tratamento. Em cinco sessões já é possível sentir alívio, mas em pacientes crônicos podem ser necessárias dez sessões de RPG.
×