Na hérnia discal cervical – pode ocorrer dor cervical (cervicalgia) ou dor irradiada ao longo do braço, por vezes, até à mão (braquialgia; cervicobraquialgia), espasmos e dores nos músculos do pescoço, dor no ombro e braço, descrita pelos doentes como “ardimento (ardência) ou queimação”, dor de costas como uma “pontada ou fisgada”. Para além destes sintomas é também possível a ocorrência de dor de cabeça (cefaleias), formigueiros, adormecimento, alterações na sensibilidade e fraqueza muscular do membro afetado.
O ioga é um tratamento razoável a experimentar a par da toma de medicação e auto tratamentos. Estudos realizados revelam que os doentes com problemas nas costas que participaram em 12 sessões semanais de ioga tinham menos dores do que os que fizeram exercícios terapêuticos e receberam formação nessa área. Alem disso, o alivio da dor, em comparação com o outro grupo, também era mais duradouro, durando mais 14 semanas.
Ensaios controlados e randomizados (ECR) desenvolvidos em alguns países da Ásia 4 , 5 , 11 , 12 e do Oriente Médio 14 , 15 , 18 avaliaram os efeitos da acupressão na duração da primeira etapa do TP e na via de parto. Nesses estudos, foram identificados três pontos de acupuntura, alvos da acupressão: ponto Sanyinjiao (BP6), 4 , 11 , 12 , 14 , 18 ponto Hegu (IG4) 5 e ponto Zhiyin (B67). 5

Sobrecarga de mochila em crianças: dor lombar não relacionado à lesão ou outra causa conhecida é incomum em crianças pré-adolescentes. No entanto, uma mochila, sobrecarregada com livros e materiais pode estirar a musculatura e ligamentos lombares, e causar fadiga muscular. A American Academy of Orthopaedic Surgeons recomenda que a mochila de uma criança deve pesar não mais que 15 a 20% do peso do corpo da criança.
É aconselhável que um indivíduo com dor nas costas deve ter uma dieta equilibrada. O leite, o suco, os brotos e as frutas devem ser tomados regularmente todos os dias. Vegetais cozidos no vapor como couve-flor, cenouras, tomates, espinafre e repolho também devem encontrar um lugar na sua tabela de alimentos. Os alimentos picantes, oleosos e pesados, bem como chá, café, pratos doces e coalhada, devem ser eliminados assim que você começar a sofrer de dor nas costas.
Lin Tchie Yeng – LER (lesões por esforços repetitivos), ou DOT (distúrbios osseomusculares relacionados ao trabalho), é uma doença bastante comum atualmente. Estima-se que, em São Paulo, de 5% a 8% dos trabalhadores apresentem dor no braço ou na região cervical como consequência de suas atividades profissionais. No Hospital das Clínicas, mais ou menos 30% das pessoas com tendinite provocada pela repetição contínua de certos movimentos, sofrem também de fibromialgia e isso causa diagnósticos e tratamentos equivocados.

Boa parte dos problemas de dor nas costas podem ser resolvidos por atitudes simples, como dormir em colchão duro ou sentar-se preferencialmente em cadeiras de encosto reto. Pesos só devem ser erguidos a partir de uma postura agachada, mantendo-se as costas retas. Da mesma forma, pessoas que passam longo tempo sentadas (como motoristas e trabalhadores administrativos), devem mudar de posição ou erguer-se de vez em quando para descontrair e exercitar os músculos.

Além dos benefícios acima aproveitou e disse: colchão de acupressão está disponível em vários formatos para atender às necessidades do povo. Por exemplo, existem tapetes especialmente concebidos para mãos e pés para melhorar a circulação sanguínea. As pessoas podem escolher para sentar ou deitar-se no tapete, dependendo das áreas que requerem a pressão. No entanto, uma acupuntura não deve exceder 15 minutos, no primeiro semestre. Uma vez que o corpo se acostuma com a tela, a duração pode ser estendido de 20 para 30 minutos. Algumas pessoas usá-lo para dormir bem. Colchão de acupressão com 8820 pontos de pressão é uma febre entre estes tapetes chineses. Recomenda-se a usá-lo antes de dormir para garantir uma boa vedação de sono. Algumas de suas características surpreendentes listados abaixo:
Sistema digestivo: embora a fibromialgia possa afetar uma série de sistemas do corpo, o primeiro passo de tratamento é a normalização do sistema digestivo. Isso é essencial para garantir que o corpo seja capaz de absorver os nutrientes de que necessita para a cura. Também é vital garantir que o revestimento do intestino esteja saudável para que as toxinas e alimentos não digeridos não sejam absorvidos na corrente sanguínea.

O tratamento de primeira linha mais comum passa pelos analgésicos ou anti-inflamatórios para alívio de dor, aplicação de gelo ou calor na área dolorida e eventualmente fisioterapia. Ao contrário do que se pensa, o repouso absoluto não é recomendado. Os tratamentos adicionais dependem da doença que está a provocar a ciática. Os medicamentos, bem como a sua forma de administração devem ser SEMPRE prescritos por um médico, nunca devendo o doente automedicar-se. Como opção há a cirurgia, geralmente recomendada para casos que não obtiveram sucesso com tratamentos à base de medicamentos. A cirurgia, quando devidamente indicada, é extremamente eficaz e segura no tratamento da ciática, apresentando muito menores riscos que o uso continuado de medicamentos para alívio de dor. Atualmente, as técnicas minimamente invasivas tornaram a cirurgia à coluna extremamente eficaz e praticamente sem riscos, permitindo uma recuperação muito rápida.
As participantes foram alocadas por meio de uma lista de seleção de números aleatórios e distribuídas em três grupos: acupressão (BP6); grupo toque (GT), placebo; e grupo controle (GC). O estudo utilizou o método duplo-cego; nem as parturientes do grupo BP6 e GT nem tampouco os profissionais que prestavam assistência na unidade obstétrica sabiam a que grupo cada participante pertencia. Com relação ao GC, não houve possibilidade de cegamento devido às próprias características do estudo.
Estima-se que 1% a 2% de todos os adultos a experiência de uma hérnia de disco em algum ponto que leva ao nervo ciático dor. Muito mais comum em homens do que em mulheres, e mais propensos a desenvolver em pessoas com mais de 30 anos de idade, nervo ciático dor pode afetar ambos os atletas são aqueles que são muito ativos ou pessoas que são mais sedentárias.

Sobrecarga de mochila em crianças: dor lombar não relacionado à lesão ou outra causa conhecida é incomum em crianças pré-adolescentes. No entanto, uma mochila, sobrecarregada com livros e materiais pode estirar a musculatura e ligamentos lombares, e causar fadiga muscular. A American Academy of Orthopaedic Surgeons recomenda que a mochila de uma criança deve pesar não mais que 15 a 20% do peso do corpo da criança.
Nível de condicionamento físico: a dor de costas é mais comum entre pessoas que não estão fisicamente aptos. Musculatora abdominal e lombar enfraquecidas podem não suportar corretamente a coluna vertebral. “Atletas de finais de semana” — pessoas que saem e exercitam-se muito depois de estarem inativos durante toda a semana — são mais propensos a sofrer lesões dorsais dolorosas do que pessoas que fazem atividade física moderada, como um hábito diário. Estudos mostram que o exercício aeróbio de baixo impacto é benéfico para a manutenção da integridade dos discos intervertebrais.
Como vimos, a larga maioria dos casos pode ser perfeitamente benigna, mas outros há que são extremamente graves e que podem colocar a sua vida em risco e num curto espaço de tempo. Neste sentido, é muito importante que o doente nunca se automedique ou desvalorize os sintomas, consultando um médico de modo a permitir diagnosticar e tratar a patologia responsável pela dor de costas, conforme veremos de seguida.
Se o primeiro ponto não funcionar, tente o próximo ponto, ou pontos, até você encontrar um que funcione. Pode haver mais de uma abordagem a seus sintomas, tal como 'rins' X 'dor nas costas.' Quando encontrar um ponto que ajuda, trabalhe esse ponto. Se o alívio é temporário, reestimule o local. Algumas vezes a dor passa e retorna três ou quatro vezes, cada vez em menor intensidade. Seu objetivo é a harmonia interna, então, fique em um local silencioso, sente-se ou deite-se e relaxe. Evite música alta, exercícios, alimentos, drogas ou álcool enquanto estimula seus pontos de pressão.
A dor nas costas é uma das queixas mais frequentes. Estima-se que entre 65% e 80% da população mundial desenvolvam a enfermidade em alguma fase das suas vidas; todavia, a dorsalgia não costuma ser incapacitante, e mais da metade dos que padecem dela costumam recuperar-se em até uma semana [1]. Crises agudas de dorsalgia ou uma das suas variantes, a lombalgia (que afecta a parte inferior das costas), são uma das principais causas de afastamento ao trabalho[2], algo que pode estar ligado a questões de postura.
Some authors 13 suggest that cesarean section may contribute to elevated risk of maternal death. The progressive increase in the cesarean section rate in Brazil c has become a disturbing indicator for public health and related policies. Brazil is among the countries that most use this type of delivery, as shown in a global survey conducted in 2007. 3 Alternative methods that promote improved progress of labor and consequently, of vaginal birth, can significantly decrease the number of cesarean sections, as proposed in this study.

O grupo de BP6 apresentou menor taxa de cesárea entre os grupos deste estudo. Já o GC, com 15,4% a mais de cesárea em relação ao grupo BP6, aproximou-se da taxa registrada no último relatório anual da instituição onde se realizou o estudo (44,5% de cesáreas em 2013); f porém, na análise estatística, não apresentou diferença significativa. Contrariamente, dois ECR mostraram redução significante no número de cesáreas, sendo de 10,0% dessa via de parto em um dos estudos 18 e 12,8% no outro. 7 No entanto, esses estudos incluíram somente mulheres nulíparas ou sem cesárea anterior.

O alongamento baseado na técnica de Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva (contrai-relaxa/mantém-relaxa) possui efeitos significativos na redução da compressão do nervo ciático, em conjunto com os alongamentos convencionais (estáticos – passivos e ativos) e com as manobras de mobilização neural. As últimas são complementares, tendo o papel de reposicionar os segmentos do nervo para reduzir a sua compressão. 

A artrose na coluna (espondilose) é uma alteração degenerativa da coluna vertebral. Na espondilose, sintomas como dor na coluna, desconforto ou tensão nas costas ou pescoço ocorrem frequentemente. A intensidade da dor na coluna pode variar ao longo do dia, modificar com a posição, as atividade e os movimentos, no entanto, na maioria das pessoas não é de tal forma intensa que se torne incapacitante. A dor pode ser limitada à coluna ou, então, irradiar, de forma diferente conforme os segmentos da coluna afetados, por norma, para a cabeça (na espondilose cervical), para a região do tórax (na espondilose dorsal), para as nádegas e virilhas (na espondilose lombar e lombossagrada).

Terapia psicológica. Terapia cognitivo conductual: se basa en la idea de que las percepciones que tiene el individuo sobre sí mismo y sobre su entorno afectan a sus emociones y a su comportamiento. Hay que evaluar los aspectos que caracterizan a la enfermedad: conocimiento de la misma, afectación en la vida cotidiana y la capacidad para afrontarla.
Se for mulher com mais de 40 anos, deverá ponderar a hipótese de tomar suplementos de cálcio. É recomendado que as mulheres tomem um suplemento de 150 miligramas todos os dias. O cálcio ajuda a proteger a coluna e o resto do esqueleto da osteoporose, a doença que provoca erosão e enfraquecimento dos ossos. Em especial nas mulheres mais velhas, há o risco de as vértebras poderem fraturar-se, caso estejam enfraquecidas devido à osteoporose. Contudo, o cálcio pode ajudar a prevenir esta doença. Se tiver um historial familiar de osteoporose fale com o seu médico sobre a terapia hormonal, que também poderá ajudar a proteger a coluna.
(Fontes: Maurício Garcia, coordenador do setor de fisioterapia do Instituto Cohen de ortopedia, reabilitação e medicina do esporte e fisioterapeuta do Centro de Traumatologia do Esporte da Unifesp – CREFITO 3/8090-F; Ricardo Munir Nahas, ortopedista, traumatologista, médico do esporte e coordenador do Centro de Medicina do Exercício e do Esporte do Hospital Nove de Julho – CRM 34914/SP; Thiago Medeiros, fisioterapeuta e osteopata do Instituto Curarte e professor da Universidade São Francisco e UniMetrocamp – CREFITO 3 /125946-F)

Entre os medicamentos mais usados para o tratamento de fibromialgia, estão antidepressivos tricíclicos em doses baixas (administrados em doses inferiores às usadas em casos de depressão), relaxantes musculares, anti-inflamatórios não-hormonais, analgésicos comuns e opioides, que podem ser utilizados na exacerbação da dor por curtos períodos de tempo. Veja alguns remédios utilizados:


A dor pode instalar-se de forma gradual (vai doendo cada vez mais) ou, então, pode surgir de forma súbita (“repentina” ou “de repente”), sendo que este facto e a intensidade da dor não estão, por norma, diretamente relacionados com a gravidade do problema. A dor nas costas é um sintoma que deverá ser sempre avaliado pelo médico. Se a dor nas costas for muito forte ou se houver outros sintomas como febre, arrepios, perda de peso, dificuldade em respirar, problemas em se movimentar, entre outros sinais e sintomas a valorizar, deverá procurar um médico com urgência.
O tratamento para a dor ciática pressupõe identificar e corrigir as causas responsáveis pela compressão desse nervo. Nas crises agudas, medicamentos como os analgésicos e os anti-inflamatórios representam recurso importante para alivio da dor. Pesquisas mostram que, tão logo os sintomas permitam, não faz a menor diferença voltar gradativamente à atividade física ou permanecer de cama até a dor desaparecer por completo.
A acupressão promove o relaxamento muscular, aumento a circulação local, liberação de pontos gatilhos da musculatura (miofasciais) e liberação de endorfinas. Pela Medicina Tradicional Chinesa (MTC), ela desbloqueia os canais e os pontos de acupuntura, fazendo com que o Qi (“energia”) volte a circular livremente pelo corpo, restabelecendo o funcionamento do corpo, promovendo a “auto cura”.
Como resultado do envelhecimento das células, ocorre freqüentemente hérnias de disco. Se não forem suficientes, novas células são substituídas pelo corpo, o tecido periférico perde a capacidade de manter o disco como as imagens. O núcleo do disco intervertebral então possui furos, a partir desses orifícios o líquido então emerge e causa inflamação.
A lombalgia – dor nas costas – está presente na grande maioria da população mundial adulta, sendo que de 30 a 40% destas pessoas apresentam de forma assintomática hérnia de disco lombar e de 2 a 3% já estão acometidas pelo sintoma desta patologia, cuja prevalência acima dos 35 anos é de 4,8% no universo masculino e 2,5% no feminino. No país, segundo dados do IBGE, a hérnia de disco atinge 5,4 milhões de brasileiros. O problema é consequência do desgaste da estrutura entre as vértebras que, na prática, funcionam como “amortecedores” naturais do impacto entre elas. Dessa forma, a estrutura se desloca e comprime os nervos da região.
O atleta é um lesionado em potencial, pois os treinamentos, quanto mais intensos e de impacto forem, maior o sofrimento das estruturas osteo-músculo-ligamentares, além de todo o organismo e, por isso, grande deve ser o cuidado com estes indivíduos. O organismo levado ao extremo num Ironman ou maratona, desafiando os limites da força e flexibilidade no judô ou jiu jitsu, impactos fulminantes nos saltadores e ginastas, e nossa máquina, mesmo muito treinada, sofre desgastes, e no centro de todo esse esforço mecânico, está a nossa lombar, onde distribuímos nosso peso, nosso centro de gravidade, colocando em esforço máximo nossos músculos lombares e abdominais, nossos ligamentos, discos e diversas nobres estruturas próximas como rins e útero. Então, como não dizer que um atleta é um indivíduo muito próximo a um desconforto ou lesão? As dores lombares nos atletas, em todos os esportes, podem ser muito comuns.
Este exercício pode estar vinculado ao Método Pilates solo ou à fisioterapia convencional. O exercício consiste no posicionamento inicial do paciente na postura ajoelhada, com as mãos em contato com os tornozelos. A orientação é que ele realize extensão da coluna progressivamente, trabalhando a respiração, buscando os mesmos desfechos dos procedimentos supracitados.
Histologicamente, os nervos são formados por diversos feixes de fibras nervosas (neurônios), revestidos por camadas de tecido conjuntivo, sustentando e nutrindo todas estruturas. O tecido conjuntivo que envolve cada fibra nervosa é denominado endoneuro. Já as camadas que sustentam os feixes de fibras e o nervo propriamente dito, são perineuro e epineuro, respectivamente.
– Faça uso de analgésicos ou anti-inflamatórios. Procure um médico para que ele possa orientar você quanto ao modo correto de uso, especialmente porque talvez seja necessário também um medicamento que protege o estômago dos danos causados por estes remédios. Exemplos: paracetamol ou dipirona. Relaxantes musculares, como a ciclobenzaprina, também podem ser eficazes.
Uma vez diagnosticada a dor, a primeira iniciativa do tratamento consiste em identificar e corrigir as causas que desencadearam a compressão do nervo. A RMA (Reconstrução Músculo-Articular) da Coluna Vertebral é um método não cirúrgico, desenvolvido pelo ITC Vertebral, para o tratamento da hérnia de disco bem como de outras lesões da coluna, como a própria dor no nervo ciático. O programa fisioterapêutico utiliza técnicas de Fisioterapia Manual, Mesa de Tração Eletrônica, Mesa de Descompressão Dinâmica, Estabilização Vertebral e Exercícios de Musculação ou Pilates e tem por objetivo melhorar o grau de mobilidade músculo-articular, fortalecer os músculos profundos e posturais da coluna vertebral através de exercícios terapêuticos específicos, além de diminuir a compressão no complexo disco vértebras e facetas, dando espaço para nervos e gânglios.
Segundo Gabriel Boal, "a Reeducação Postural Global ou RPG busca alongar e fortalecer grupos musculares que tem relação com as dores nas costas e a má postura. Através de exercícios orientados, a técnica corrige a postura e alivia o incômodo na coluna". Grávidas do primeiro trimestre e pessoas com alterações da função cognitiva, como portadores do mal de Alzheimer, não devem ser submetidos ao tratamento. Em cinco sessões já é possível sentir alívio, mas em pacientes crônicos podem ser necessárias dez sessões de RPG.
×