Heymann et al.60 Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66A dose de todos os antidepressivos deve ser individualizada e qualquer mudança de humor concomitante tratada (grau de recomendação D).25O medicamento antiparkinsoniano pramipexol também foi recomendado para o tratamento da bromialgia para reduzir a dor (grau de recomendação A, nível de evidência Ib),8 sendo especialmente indicado na presença de distúrbios do sono como a síndrome das pernas inquietas (grau de recomendação A).25Analgésicos simples e os opiáceos leves também podem ser considerados para o tratamento da bromialgia, ao contrá-rio dos opiáceos potentes que não foram recomendados (grau de recomendação D, nível de evidência IV).8 O tramadol foi recomendado para o tratamento da dor na bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 Sua associação ao pa-racetamol foi considerada efetiva no tratamento da bromialgia (grau de recomendação B).25 A tropisetrona também foi recomendada para o tratamento da dor da bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 Dentre os neuromoduladores, a gabapentina (grau de re-comendação A)22 e a pregabalina foram recomendadas. Esta última foi considerada ecaz em reduzir a dor dos pacientes com bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 Por outro lado, o topiramato, não foi recomendado (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).Os corticosteroides não devem ser empregados (grau de recomendação D, nível de evidência IV).8 Os anti-inamatórios não esteroides não devem ser utilizados como medicação de primeira linha nos pacientes com bromialgia (grau de reco-mendação A).25A zopiclona e o zolpidem foram recomendados para o tratamento dos distúrbios do sono da bromialgia (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).Não foram recomendados para uso na bromialgia o clo-nazepam, a tinazidina e o alprazolam (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).Tratamento não medicamentosoOs pacientes com bromialgia devem ser orientados a realiza-rem exercícios musculoesqueléticos pelo menos duas vezes por semana (grau de recomendação B).25 Programas individualiza-dos de exercícios aeróbicos podem ser benécos para alguns pacientes (grau de recomendação C, nível de evidência IIb),8 que devem ser orientados a realizar exercícios aeróbicos mode-radamente intensos (60%-75% da frequência cardíaca máxima ajustada para a idade [210 menos a idade do paciente]) duas a três vezes por semana (grau de recomendação A),25 atingindo o ponto de resistência leve, não o ponto de dor, evitando, dessa forma, a dor induzida pelo exercício. Isso é especialmente importante no subgrupo de indivíduos com hipermobilidade articular (grau de evidência B).25 O programa de exercícios deve ter início em um nível logo abaixo da capacidade aeróbica do paciente e progredir em frequência, duração ou intensidade assim que seu nível de condicionamento e força aumentar. A progressão dos exercícios deve ser lenta e gradual (grau de recomendação D)25 e se deve, sempre, encorajar os pacientes a dar continuidade para manter os ganhos induzidos pelos exercícios (grau de recomendação B).25 Programas individualizados de alongamento (grau de recomendação D) (Grupo I SBR) ou de fortalecimento mus-cular também podem ser benécos para alguns pacientes com bromialgia (grau de recomendação C, nível de evidência IIb).8 Outras terapias, como reabilitação e sioterapia ou rela-xamento, podem ser utilizadas no tratamento da bromialgia, dependendo das necessidades de cada paciente (grau de reco-mendação C, nível de evidência IIb).8A terapia cognitivo-comportamental é benéca para alguns pacientes com bromialgia (grau de recomendação D, nível de evidência IV).8 O suporte psicoterápico também pode ser utilizado no tratamento da bromialgia, dependendo das ne-cessidades de cada paciente (grau de recomendação C, nível de evidência IIb).8Não houve consenso sobre a indicação de tratamentos com acompanhamento clínico como a balneoterapia (grau de recomendação A)25 ou acupuntura (grau de recomendação C).25 Houve consenso em não recomendar a hipnoterapia, o bio-feedback, a manipulação quiroprática e a massagem terapêutica para o alívio da dor na bromialgia (grau de recomendação B).25Outras terapias, como pilates, RPG (reeducação postural global) e o tratamento homeopático, não foram recomendadas para o tratamento da bromialgia (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).Não existem evidências cientícas de que terapias alterna-tivas, como chás, terapias ortomoleculares, cristais, cromote-rapia e orais de Bach, entre outros, sejam ecazes (grau de recomendação D) (Grupo I SBR). Não há, também, evidências cientícas de que inltrações de pontos dolorosos da bromial-gia sejam ecazes (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).
– Mantenha seu peso em forma. Pessoas acima ou abaixo do peso têm mais chances de ter lombalgia. Os gordinhos ou obesos possuem menos flexibilidade da coluna, além de menor resistência das articulações e menos força muscular. A gordura da região abdominal desloca a coluna para frente, sobrecarregando os músculos das costas. Já os magros podem ter problemas alimentares, como a deficiência de cálcio. Se faltar esta substância, a pessoa pode ter osteoporose e desenvolver fraturas nos ossos.
Segue-se o cotovelo, como a segunda região de maior incidência de lesões (sobretudo no atleta amador). O denominado “cotovelo do golfista” (inflamação do epicôndilo medial – face interna) deve-se sobretudo ao contacto precoce do taco com a relva, provocando uma carga excessiva sobre os tendões que se inserem no epicôndilo. Do lado oposto temos o “cotovelo do tenista” (inflamação do epicôndilo lateral – face externa) que pode ter origem no excesso de uso e de swings realizados, essencialmente no cotovelo direito, no caso dos destros. Estas lesões aumentam com a frequência do jogo e com a idade. 
“São duas inovações no mesmo estudo: o equipamento e o protocolo de tratamento. Ao fazer a emissão conjugada de ultrassom e laser conseguimos normalizar o limiar de dor do paciente. Já o tratamento na palma das mãos contrapõe o tipo de atendimento feito hoje, muito focado nos pontos de dor”, disse Antônio Eduardo de Aquino Junior, pesquisador do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da Universidade de São Paulo (USP), um dos autores do artigo.
– Pratique exercícios físicos que ajudem a fortalecer a musculatura de todo o corpo. O Pilates é uma excelente opção, que promove uma melhora no condicionamento físico e mental com um repertório diversificado de exercícios globais. Através da técnica, que trabalha fluidez, concentração, controle, centro de força, respiração e postura, o praticante consegue aumentar a sua consciência corporal, flexibilidade, equilíbrio e força muscular.

Conforme bem estabelecido na literatura, as crises que acometem a coluna vertebral, notadamente a região lombar, decorrem de inúmeros fatores, sendo a maioria passível de modificação. Seguindo essa linha de raciocínio, um plano de ação para prevenir novas crises deveria focar incondicionalmente os fatores potencialmente modificáveis. O problema é que, nesse caso, serão necessários investimentos em médio e longo prazo, que exigem persistência e disciplina, condições cada vez mais em falta em um mundo que hipervaloriza a comodidade pessoal e abusa da tecnologia.


A dor pode instalar-se de forma gradual (vai doendo cada vez mais) ou, então, pode surgir de forma súbita (“repentina” ou “de repente”), sendo que este facto e a intensidade da dor não estão, por norma, diretamente relacionados com a gravidade do problema. A dor nas costas é um sintoma que deverá ser sempre avaliado pelo médico. Se a dor nas costas for muito forte ou se houver outros sintomas como febre, arrepios, perda de peso, dificuldade em respirar, problemas em se movimentar, entre outros sinais e sintomas a valorizar, deverá procurar um médico com urgência.
Muitos desses fatores de risco provocam a inflamação, o que torna mais difícil para se curar de lesões e aumenta a dor. Para combater a inflamação e melhorar suas chances de alcançar o nervo ciático de socorro mais rapidamente, certifique-se de comer um nutriente-densos cura dieta, evitar o tabagismo/usar drogas e fazer exercício físico e a boa noite de sono.
×